terça-feira, 28 de dezembro de 2010

- versos íntimos

Vês! Ninguém assistiu ao formidável
Enterro de tua última quimera.
Somente a Ingratidão - esta pantera -
Foi tua companheira inseparável!

Acostuma-te à lama que te espera!
O Homem, que, nesta terra miserável,
Mora, entre feras, sente inevitável
Necessidade de também ser fera.

Toma um fósforo. Acende teu cigarro!
O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
A mão que afaga é a mesma que apedreja.

Se a alguém causa inda pena a tua chaga,
Apedreja essa mão vil que te afaga,
Escarra nessa boca que te beija!
(Augusto dos Anjos)

sábado, 18 de dezembro de 2010

- toda minha saudade e o meu amor de sempre;

Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche. (Martha Medeiros)


Dizem que quando a saudade já não cabe mais no coração, transborda pelos olhos.
E amor, eu tô transbordando muito, inundando o quarto. Vem me salvar?

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

- sobre a fé;

toda religião do mundo opera sobre o mesmo conceito que significa ser um bom díscipulo. [...] os devotos deste mundo executam seus rituais sem garantias de que algo de bom virá deles. [...] devoção é diligência sem segurança. a fé é uma forma de dizer: "sim, aceito previamente a maneira como o universo funciona, e acredito previamente naquilo que hoje sou incapaz de entender". [...] se fé fosse racional, não seria - por definição - fé, a fé é a crença naquilo que não se pode ver, provar ou tocar. fé é mergulhar de cabeça e em velocidade total rumo à escuridão. se de fato conhecêssemos previamente as respostas sobre o sentido da vida, a natureza de Deus e o destino de nossas almas, nossa crença não seria um salto de fé e não seria um corajoso ato de humanidade; seria apenas... uma prudente apólice de seguros.
não estou interessada na indústrias dos seguros. [...] estou pouco me lixando para provas, demonstrações e seguranças. tudo que eu quero é Deus. quero Deus dentro de mim. [...]
ocorreu-me que não adianta muito enviar preces preguiçosas para o universo. [...]
é claro que Deus sabe do que eu preciso. a pergunta é - será que eu sei?
a prece é um relacionamento; metade do trabalho é meu.


- fragmentos do livro comer, rezar, amar.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

- sobre a confiança;

me diz, como que a gente pode confiar em alguém atualmente?
eu vejo um monte de pessoas cansadas e machucadas.
vejo um monte de pessoas acostumadas a machucar.
todo mundo tem uma (ou mais) histórias similares.

fomos condicionados a desconfiar até da nossa sombra.
a confiança morre a cada pequena mentirinha, a cada pequena desconfiança.
morre aos poucos. entende?

da mesma forma ela é construída, conquistada no dia-a-dia.
e com passos lentos. bem lentos, eu diria.
mas por mais que você trabalhe nela, por mais que a solidifique, sempre existirão rachaduras.

a gente sabe que todo mundo mente.
é uma característica intrínseca do ser humano.
é meio que uma questão de sobrevivência, de adaptação.
só que é aí onde as pessoas perdem a noção do limite.

pessoas jogam no lixo relacionamentos(amorosos e amizades) por mentirinhas bobas, meias verdades. pessoas destroem tudo o que haviam contruído por anos em alguns míseros segundos.

não existe "me perdoa?" que faça esquecer. não existe "eu te amo" que faça perdoar. não existe "foi um mentirinha" que não faça doer.

então depois de anos ouvindo as mesmas mentiras, as mesmas desculpas e os mesmos pedidos de perdão, não é de se surpreender que um ser humano tenha dificuldade em acreditar no outro.

nesta porcaria de mundo tudo se perde, até o respeito.


p.s.: se for para mentir e foder com tudo, que seja uma mentira grande, importante. seja homem e não conte uma mentirinha de merda, seu bosta. (isso não é pra alguém específico)

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

- é só me pedir;



Olha, eu sei que o barco tá furado e sei que você também sabe, mas queria te dizer pra não parar de remar, porque te ver remando me dá vontade de não querer parar também. Tá me entendendo? Eu sei que sim.

Eu entro nesse barco, é só me pedir. Nem precisa de jeito certo, só dizer e eu vou. Faz tempo que quero ingressar nessa viagem, mas pra isso preciso saber se você vai também. Porque sozinha, não vou. Não tem como remar sozinha, eu ficaria girando em torno de mim mesma. Mas olha, eu só entro nesse barco se você prometer remar também!

Eu abandono tudo, história, passado, cicatrizes. Mudo o visual, deixo o cabelo crescer, começo a comer direito, vou todo dia pra academia. Mas você tem que prometer que vai remar também, com vontade!

Eu começo a ler sobre política, futebol, ficção científica. Aprendo a pescar, se precisar. Mas você tem que remar também. Eu desisto fácil, você sabe. E talvez essa viagem não dure mais do que alguns minutos, mas eu entro nesse barco, é só me pedir.

Perco o medo de dirigir só pra atravessar o mundo pra te ver todo dia. Mas você tem que me prometer que vai remar junto comigo.

Mesmo se esse barco estiver furado eu vou, basta me pedir. Mas a gente tem que afundar junto e descobrir que é possível nadar junto. Eu te ensino a nadar, juro! Mas você tem que me prometer que vai tentar, que vai se esforçar, que vai remar enquanto for preciso, enquanto tiver forças!

Você tem que me prometer que essa viagem não vai ser a toa, que vale a pena.
Que por você vale a pena. Que por nós vale a pena.

Remar.
Re-amar.
Amar.
- Caio Fernando Abreu

domingo, 28 de novembro de 2010

- completamente sem amor;

I wish it's yours.

eu estou deitada sozinha com minha cabeça sobre o telefone pensando em você até me machucar. eu sei que você está machucado também, mas o que mais nós podemos fazer atormentados e assim aos pedaços?

eu gostaria de poder carregar seu sorriso no meu coração para as horas em que minha vida parece tão triste. isto me faria acreditar no que o futuro nos reserva, pois no presente não se sabe, não se sabe.
eu estou completamente sem amor, estou tão perdido sem você. eu sei que você estava certo, acreditando por tanto tempo. eu estou completamente sem amor, o que sou eu sem você? não é possivel que seja tarde demais para eu dizer que estava tão errada.

eu quero que você volte e me leve para casa, para longe destas longas noites solitárias. estou tentando te alcançar, você está sentindo também? será que o sentimento parece tão certo?

e o que você diria se eu telefonasse agora e dissesse que eu não posso esperar? não está nada fácil e fica mais difícil a cada dia. por favor me ame ou vou morrer, vou morrer.

(air supply - out of love)

terça-feira, 23 de novembro de 2010

- tudo bem, querida [4];

já não me quer? tudo bem. basta que eu te olhe, nem chego perto, no outro lado da mesa. cafetina de corações solitários. ó estripadora de alminhas líricas. vendo o teu desprezo pode ser que ganhe coragem e força. com as mãos arranco o próprio coração pelas costas.

meus ossos já se desmancham, deixo cair garfo e xícara, puxo da perna esquerda. me repito, eu? pudera, no ouvido esse bando de baitacas gritando sangue, me acuda, inferno, eu morro. dá um tempo cara.

não assim, não pra sempre: o fim do mundo às duas e quinze da tarde. em vez da rtombeta e a explosão de uma voz alegre no telefone publico. tudo bem, sinto muito, desculpa e obrigadinha. sente muito, você, a maior das assassinas?

tudo bem pô nenhuma. não tem obrigadinha. não tem desculpa. quero você inteirinha de volta. orgulho já não tenho. merda pro orgulho. a paz dos cabelos brancos, até essa me deixou. entre você e o amor próprio escolho você.

entre a dignidade e a abjeção com você, escolho a abjeção. só peço pelo último encontro, duas palavrinhas.

por você eu morro todo dia. pelo teu amor sou morto a cada hora. deixa te ver, sua maldita, uma vezinha só. ai, por favor. minha santinha querida. por favor.

(dalton trevisan)

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

- tudo bem, querida [3];

machão, eu? o mais reles dos ratos piolhentos do amor. sem honra, nem palavra, por mim não respondo, todo me ofereço à vergonha da humilhação.

lembra da aranha? você cortou com a tesoura as oito patas, cada uma ainda quis andar sozinha... e se distraiu ao vê-la desfinhar o ventre, o recheio verde. essa aranha roxa, alí no piso branco, sou eu. mudo me retorcendo de tanta dor.

delicada, eu um sem braço nem perna, debaixo do teu sapatinho prateado? o meu desespero, goze à vontade. tudo menos oi, querido, acabou o nosso caso. pô que acabou!

e eu, ô cara? sem você, o que será de mim, já pensou? não tem nenhuma peninha? eu morro, sua puta. por você eu grito três dias sem parar. me dá um tempo. qual é a tua, cara? como pode, até ontem me amava e hoje tudo acabado?

e os teus bilhetes de juras eternas, as letras borradas de fingidas lágrimas? a isso chama de amor? me beija na boca e no mesmo suspiro me acerta o ferrão de fogo. tudo eu aceito, só não me deixe. aqui na maior desgraça.

não ouve meu soluço e rasgar de dentes? me dá um tempo, cara. um mês, uma semana, um diazinho só.
[...]

(dalton trevisan)

domingo, 21 de novembro de 2010

- tudo bem, querida [2];

tudo bem, uma merda. tudo mal, nunca esteve pior, desde a hora do famoso recado. assim acaba o amor jurado de um ano inteirinho? de um telefone publico, entre zumbidos e vozes, desculpa querido, não posso falar, tem gente esperando.

nem a consideração do falso olho azul na cara. e se caio duro e mortinho ao ouvir a sentença de morte? te dispensava de assistir à execução, o tiro de misericórdia na nuca. misericódia, pô nenhuma! sabe lá o que é, cara?

egoísta e pérfida, só uma bandida capaz de oi, tudo bem (e no mesmo fôlego, de certo sorrindo o tempo inteiro), tudo acabou querido, é o fim, não me procure mais, se me vir na rua (nos braços de outro?) finja que nunca me conheceu, assim a gente não sofre. não sofre, a gente, pô?

fale por você, sua cadela. e a mão suada e fria? e a lingua no sal? o vidro moído das entranhas? a tremedeira do pé torto? aqui estava numa boa, de repente o bruto murro na cara, espirra olho, sangue do nariz, caco de dente e tudo bem querido?

minha única fonte de alegria agora de todas as dores e aflições? você, meu cálice de vinagre e fel, a broinha de cinza fria? dá um tempo ô cara. isso não se faz. não é assim que um amor acaba. com tiro na nuca, a volta do parafuso nas costas, o soco na cara.
[...]

(dalton trevisan)

sábado, 20 de novembro de 2010

- tudo bem, querida [1];

ah é? você me liga: oi, tudo bem? estou terminando. entre nós, sim, tudo acabado. espero que sejamos amigos. que história é essa, cara? acabou pô nenhuma! um longo ano de paixão e loucura, e de repende oi, tudo bem, o fim de tudo?

pra mim nada acabou, ô louca! só do teu pouco juízo pra ser tão cruel. ingrata e desgracida. oco no peito, ninho de peludas viúvas negras. ainda ontem, nua e perdida nos meus braços, o teu grande, eterno, único amor. e hoje: oi querido, tudo acabou. corta essa, cara!

dó, não sabe o que é? em perdão, nunca ouviu falar? nem aviso, nem nada? é o fim, tudo acabou, o coração esfolado vivo com navalha sem fio. o amor doido de um ano se acaba com um tiro na nuca.

na hora fui machão. tudo bem, se é o que você quer. claro, ainda amigos, seja feliz. assim que você desliga, mãezinha do céu, o olho cegou, a língua enrolou, a perna falhou, o meu nome esqueci. que tudo be, que nada. pô nenhuma!

aqui estou plantado de quatro, ganindo para a lua vermelha dos amantes desprezados. nada acabou, meu amor que era grande ficou maior, transborda do meu peito, sai pela janela, explode a cidade em sarças ardentes, uivos de dor, borboletas amarelas.

durão sim, ás duas da tarde de sol. nunquinha que ás três da noite escura da alma, eu, a última das baratas leprosas. agonizante na velha cama, o colchão furadinho de agulhas de gelo, travesseiro de penas e brasas vivas.

única imagem, você perdida e nua nos meus braços. única idéia: nua e perdida nos braços de outro. atropelo uma prece entre berros de um ódio que espuma. e o maldito pernilongo da insônia, oi querido, tudo bem? me enfiando a faca no coração, ainda me chama de querido. no peito, não, revolve a ponta fininha nas costas, assim dói mais.
[...]

(dalton trevisan)

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

- love song for no one;

staying home alone on a friday,
flat on the floor looking back on old love or lack thereof. [...]

- john mayer.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

- até o final;

no começo eu tentava te fazer me amar, mas agora estamos juntos e posso confessar:
eu não gosto de cinema, eu não sei cozinhar. nunca fui tão romântica, jurei nunca casar. a carta que mandei não fui eu que escrevi e o poema que te recitei num livro eu li. não sou boa de futebol e por você já chorei, mas é de verdade, estou te amando e me apaixonei.

o doce do seu beijo enfeitiçou meu coração. vivo noite e dia numa nuvem de paixão. nunca vou te fazer sofrer, não quero seu mal. vem meu anjo, sigo com você até o final. até o final!

eu já chorei sozinha quando a gente brigou e confesso sou ciumenta e sempre escondo minha dor. as datas importantes vivo sempre a esquecer. machuquei muitos homens procurando você.
(até o final - fernando e sorocaba)
- óbvio que modifiquei a letra pra ficar mais bonita para você.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

- sorry to myself;

o que fazer quando seu pior inimigo é você?

talvez um dia, quem sabe, eu seja capaz de me perdoar por todo o mal que me fiz.
por todas as vezes que não me respeitei. por todas as vezes que eu menti pra mim.
talvez eu tenha mais mágoas de mim, do que das outras pessoas que passaram pela minha vida.

e dizem que se perdoar está ligado com a nossa capacidade de se amar e se aceitar. seria isso verdade?

--

For hearing all my doubts so selectively and
for continuing my numbing love endlessly.
For helping you and, myself not even considering.
For beating myself up and overfunctioning.

To whom do I owe the biggest apology?
No one’s been crueler than I’ve been to me.

For letting you decide if I indeed was desirable.
For myself love being so embarassingly conditional.
And for denying myself to somehow make us compatible and
for trying to fit a rectangle into a ball.

[...]
And I’m sorry to myself.
My apologies begin here before everybody else.
I’m sorry to myself, for treating me worse than I would anybody else.


[...]
For ignoring you: my highest voices.
For smiling when my strife was all too obvious.
For being so disassociated from my body,
and for not letting go when it would’ve been the kindest thing.
(Sorry to myself - Alanis M.)

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

- do you think we'll make it?

Run, running all the time.
Running to the future with you right by my side.

Me, I'm the one you chose.
Out of all the people, you wanted me the most.

And I'm so sorry that I've fallen.
Help me up, let's keep on running.
Don't let me fall out of love.


Running, running as fast as we can.
I really hope we make it. Do you think we'll make it?
We're running, keep holding my hand so we don't get separated.

Be the one I need.
Be the one I trust most.
Don't stop inspiring me.


Sometimes it's hard to keep on running.
We work so much to keep it going.
Don't make me want to give up
(No Doubt)


- We'll make it, right @finatto?

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

- eu vou me virar;

olhos que me vigiam e do espelho me observam. olhos às vezes um pouco severos, que me escaneiam para entender o quanto existe de diferente entre mim e o reflexo. como se através rosto e dos cabelos fosse fácil intuir se naquele reflexo ainda sou eu, se cada pequeno detalhe naquele rosto é realmente meu. e se eu conseguirei a cada dia enfrentar tudo, tudo aquilo que vier.

o silêncio ás vezes é pior que o barulho, que pelo menos disfarça os sussuros das ideias que vem de noite e sufocam e martelam minha mente. e assim fazem parece difícil até aquilo que não é, e fazem parecer enormas até as coisas mínimas. e assim eu olho você que está dormindo do meu lado e penso que os milagres ás vezes acontecem.

e eu vou me virar, do mesmo jeito que eu sempre fiz, mesmo com as pernas cansadas. e depois eu vou me levantar dolorido, mas não destruído. basta só uma semana na cama e tudo volta ao normal. certo que existirão noites em que lágrimas cairão, existirão noites em que eu pensarei em desistir, mas depois, com a sua ajuda tudo vai passar. sem eu me dar conta, tudo passará.
(me la caverò - max pezzali)

terça-feira, 2 de novembro de 2010

- barco furado;


Olha, eu sei que o barco tá furado e sei que você também sabe, mas queria te dizer pra não parar de remar, porque te ver remando me dá vontade de não querer parar de remar também.

- Caio Fernando Abreu



sexta-feira, 29 de outubro de 2010

- just don't give up;



hey, slow it down... whataya want from me?
yeah, I'm afraid. whataya want from me?

there might have been a time I would give myself away.
once upon a time I didn't give a damn but now here we are, so whataya want from me?

just don't give up, I'm workin' it out.
please don't give in, I won't let you down.


it messed me up, need a second to breathe.
just keep coming around. hey, whataya want from me?

yeah, it's plain to see that baby you're beautiful and it's nothing wrong with you.
it's me, I'm a freak but thanks for lovin' me 'cause you're doing it perfectly.

there might have been a time when I would let you step away.
I wouldn't even try but I think YOU could save my life.
[...]

terça-feira, 26 de outubro de 2010

- amar-te-ei;


No entanto,
do fundo do coração,
te agradeço o desespero que me causas
e detesto a tranquilidade em que vivi antes de te conhecer.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

- numb;

I'm tired of being what you want me to be.
Feeling so faithless, lost under the surface.
I don't know what you're expecting of me, put under the pressure, of walking in your shoes. Every step that I take is another mistake to you.
I've become so numb I can't feel you there.

I've become so tired, so much more aware.
I'm becoming this. All I want to do is be more like me and be less like you.
Can't you see that you're smothering me?

Holding too tightly, afraid to lose control.
'Cause everything that you thought I would be has fallen apart right in front of you.


Once upon a time it all made sense. Now it seems like sooooooo long ago. But you know... life changes in a heartbeat.
And these are the best days of my life. I mean, these are the best days of our lives.

- não será fácil, mas valerá a pena;

Mas como você faz pra me amar mesmo assim? Mesmo quando dou o pior de mim.
Naqueles momentos em que eu gostaria de escapar de mim porque nem eu me suporto.
Onde você encontra forças para pegar na minha mão e dizer que vai dar tudo certo?
Você conhece o pior de mim e ainda assim me ama.
Você poderia escolher o mundo, mas você simplesmente escolheu ficar comigo.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010



Sei il primo mio pensiero
che al mattino mi sveglia,
l'ultimo desiderio
che la notte mi culla.
sei la ragione più profonda
di ogni mio gesto
la storia più incredibile che conosco.
(Eccoti - 883)

- cicatriz;

o fato de eu levar uma cicatriz no pulso direito não muda o fato de eu esconder outras milhares dentro de mim.
o fato de eu estar sempre sorrindo, sempre espalhando energia boa, não muda o fato de eu ser triste por dentro.
o fato de eu mentir que sou forte e durona não muda o fato de eu ser extremamente medrosa e insegura.

a cicatriz que eu tenho visível é só uma lembrança de uma dor insuportável. uma lembrança ruim de uma época em que eu não conseguia conviver comigo, sentindo nojo.

o sorriso que eu levo hoje pode até ser sincero. mas ele inicialmente foi moldado pra enganar. mas depois descobri que com ele, eu recebia outros em troca. ficou mais fácil.

e a esquiva é o meu mecanismo de defesa preferido, já que eu nem sempre sou forte para enfrentar as adversidades que me aparecem.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

- o meu tanque de guerra;

demorei anos pra construir esta tanque de guerra pra mim. e sempre cuidei para que as pessoas näo me atingissem. sempre pude controlar tudo, desde os meus sentimentos, até os sentimentos alheios. algumas vezes até pensei ter perdido o controle, mas foi questão de minutos para eu retomar o volante.
eu pensava minha vida como um carro: sempre em movimento, eu sou a motorista, e as pessoas que entravam na minha vida não tinham autorização para sentar no banco da frente. não permitia que fossem co-pilotos. no máximo pegavam carona... atrás. algumas vezes eu até fiquei meio dispersa ao volante, algumas vezes já quiseram dirigir, mas isso nunca foi permitido.
mas aí, quando tudo estava sob MEU controle, você chegou. você nem precisou pedir carona porque eu simplesmente deixei você entrar... e no banco da frente. e pior: somos piloto e co-piloto ao mesmo tempo, ás vezes trocamos de lugar e você dirige. estamos sempre de acordo sobre o caminho a seguir, a velocidade na qual dirigir e até o momento de trocar a direção.
engraçado, seja com você ao meu lado, seja com você ao volante, eu não sinto medo. eu me sinto é segura, me sinto confortável.
e naturalmente sinto que este carro que estamos dirigindo não é mais só meu, nem só seu: é um que nós achamos juntos, compramos juntos.

Published with Blogger-droid v1.4.7

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

- inesperado;



è come mi guardi, è come mi cresci, è come mi arrivi.
è come mi hai dato, è come sei sempre, è come hai capito.
l’appello era breve, la neve era fresca, la giacca era stretta.

remember the feeling the fire you started, the rush of the moment.
I stopped all the searching for reckless emotions, you were unexpected.
I had to give in, I had to give up. my senses were weak for you.

inaspettata tu. mai preoccupata tu.

how far will you go? how long is the road? you can lead the way.
will is the power two days or two hours, we’ll leave yesterday.

mi sai consumare. mi sai regalare. mi sai suscitare...
inaspettata uh oh. mai preoccupata uh uh.

tutto quello che entra ed esce da te si chiama vita, vita.

ad un passo dal vero, primo senso in amore.
ad un passo dall’unico progetto che ho.

non mi devi tenere dentro questo rumore.
non mi devo fermare. non mi devo bruciare.

and there’s no way to stop it. and there’s nowhere to hide.
I’m just taking a chance... inaspettata.


regalami ancora concetti mai stanchi, regalami ancora.

your call was so freeing. I’m finally seeing you brought me to life.

senza fatica, senza una data, senza invadenza mai.
inaspettata tu... mai preoccupata oh oh.

no, we can’t let it go and we can’t let it break.
if it’s all that we have, can we leave it to fate?


non c’è pioggia che guasta, non ho limite in niente .
benvenutO, era ora... era l'ora migliore.

ad un passo dal vero primo senso in amore.
sto nascendo con te... inaspettata!

- é... foi tudo inesperado.









- não vá embora;

E no meio de tanta gente eu encontrei você.
Entre tanta gente chata sem nenhuma graça, você veio.
E eu que pensava que não ia me apaixonar nunca mais na vida.
Eu podia ficar feia, só, perdida,
mas com você eu fico muito mais bonita, mais esperta.
E podia estar tudo agora dando errado pra mim, mas com você dá certo.

Por isso não vá embora.
Por isso não me deixe nunca, nunca mais.
Por isso não vá, não vá embora.
Por isso não me deixe nunca, nunca mais.


Eu podia estar sofrendo, caído por aí,
mas com você eu fico muito mais feliz, mais desperta.
Eu podia estar agora sem você, mas eu não quero, não quero
Por isso não vá embora.
Por isso não me deixe nunca, nunca mais.
Por isso não vá, não vá embora.
Por isso não me deixe nunca, nunca mais.
(Marisa Monte)


sexta-feira, 1 de outubro de 2010

"Mas quando paro e me apóio em uma balaustrada para admirar o pôr-do-sol, acabo pensando um pouco demais, e meus pensamentos se tornam sombrios, e é entao que as duas me encontram.
Aproximam-se de mim, silenciosas e ameaçadoras como detetives particulares, e me cercam - a Depressão pela esquerda, a Solidão pela direita. Sequer precisam me mostrar seus distintivos. Eu as conheco muito bem. Ha anos que temos brincado de gato e rato. Embora eu reconheca que estou surpresa por encontrá-las neste elegante jardim italiano ao entardecer. Elas nao combinam com este lugar.
(...)
Quando se está perdido na selva, algumas vezes é preciso algum tempo para voce se dar conta de que está perdido. Durante muito tempo, voce pode se convencer de que só se afastou alguns metros do caminho, de que a qualquer momento irá conseguir voltar para a trilha marcada. Entao a noite cai, e torna a cair, e voce continua sem a menor ideia de onde està, e é hora de reconhecer que se afastou tanto do caminho que sequer sabe mais em que direção o sol nasce."
(Comer, Rezar, Amar - Elizabeth Gilbert)

Published with Blogger-droid v1.4.7

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

- na paz;

e as vezes eu tenho a sensação de que tudo está se encaminhando. tenho a sensação de estar me encontrando, de estar te encontrando.

mas serei eternamente um desastre nada romântico. e se eu pudesse dar um conselho às pessoas, seria este de não se apaixonarem por mim. eu não sei administrar meus sentimentos, nao sei demostrar meus sentimentos, nao sei nem lidar com eles. e sim, eu vou sempre fugir pra me sentir segura.

portanto caso você se apaixone, tenha a paciência de me ver travar uma batalha comigo mesma e tenha a sabedoria pra me fazer voltar e ficar quando eu estou fugindo. em troca disso, mesmo com todos meus defeitos, serei LEAL à você.

Published with Blogger-droid v1.4.7

sábado, 18 de setembro de 2010

- 2 is better than 1;

hey, isso é pra você...

I remember what you wore in our first day, you came into my life and I thought "hey, you know, this could be something". 'Cause everything you do and words you say, you know that it all takes my breath away and now I'm left with nothing...

So maybe it's true that I can't live without you. And maybe two is better than one.
There's so much time to figure out the rest of my life
and you've already got me coming undone and I'm thinking two is better than one.

I remember every look upon your face, the way you roll your eyes, the way you taste. You make it hard for breathing. 'Cause when I close my eyes and drift away I think of you and everything's ok. I'm finally now believing.

So maybe it's true that I can't live without you. And maybe two is better than one.
There's so much time to figure out the rest of my life and you've already got me coming undone and I'm thinking two is better than one.

- together;


TOGETHER
Upload feito originalmente por WolfS♡ul

as curvas no caminho, meus olhos tão distantes. eu quero te mostrar os lugares que encontrei e como o céu pode mudar de cor quando encontra o mar.

um sonho no horizonte, uma estrela na manhã. de repente a vida pode ser uma viagem e o mundo todo vai caber nesta canção.

vou te pegar na sua casa, deixa tudo arrumado. vou te levar comigo pra longe. tanta coisa nos espera, me espera na janela. vou te levar comigo.

eu quero te contar as histórias que ouvi e nas diferenças vou te encontrar. o amor vai sempre ser amor em qualquer lugar.

vou te pegar na sua casa, deixa tudo arrumado. vou te levar comigo pra longe. tanta coisa nos espera, me espera na janela. vou te levar comigo.
(Biquini Cavadão)

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

- no one but you;


I was blindfolded but now I'm seeing. My mind was closing, now I'm believing.
I finally know just what it means to let someone in to see the side of me that no one does or ever will. So if your ever lost and find yourself all alone, I'd search forever just to bring you home.

Here and now this I vow... by now you know that I'd come for you.
No one but you, yes I'd come for you. But only if you told me to.
And I'd fight for you. I'd lie, it's true. Give my life for you.
You know I'd always come for you!

No matter what gets in my way, as long as there's still life in me... No matter what, remember you know I'll always come for you!

(Nickelback - I'd come for you)

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

- vorrei proteggerti da me;


Cold Cold Heart / Frio Frio Corazon feliz dia del amor y la amistad, happy Valentine's day
Upload feito originalmente por Edith*Tequila y sal*{aztec girl}

tu mi stringi...
ed ho un nodo in gola, mi fa quasi male a respirare.
mentre mi difendo sento che vorrei proteggerti da me.


a volte vorrei anche proteggermi da me.
sai... ho così tanto da dirti...

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

é ele;

É ele. Sem dúvida alguma, é ele.
Apenas ele me trás a paz mais calma e silenciosa pra dentro do meu peito.
Ele trás junto de si as melhores qualidades. As que eu mais admiro.
Somente com ele eu sou eu mesma, sem me importar com nada.
Sem me preocupar se tudo o que eu falo ou faço possam parecer bobagem.
E por incrível que pareça, ele adora as minhas bobagens.

É pra ele que eu sapateio igualzinho ao Happy Feet, sem me sentir ridícula.

Ele me ouve falar dos meus medos, e ouve também quando falo dos meus sonhos e desejos. Também compartilha os seus, e somamos os nossos. É com ele todos os meus sonhos. Ele faz tudo o que pode por mim, sempre dá os seus jeitinhos pra me deixar satisfeita. E ele me abraça de um jeito único, e me beija de um jeito mais único ainda.
Ele me faz querer que a semana passe mais rápido, só para estar em seus braços e ele nos meus
.

É de encontro a ele que minha mente vai. Basta apenas um milésimo de segundo de distração para me encontrar ao seu lado, pelo menos em pensamento.
Ele se preocupa comigo. Apenas ele me acalma.
Ele trás defeitos consigo, assim como eu trago os meus comigo, nós os compartilhamos e tentamos melhorar juntos.
Foi com ele que eu aprendi a pedir desculpas.
Ele me ensinou a não dizer "até amanhã", e sim "até daqui a pouquinho".
Isso faz com que as horas passem mais rápido para que logo nós estejamos juntos novamente.

Ele me encoraja, e acredita em mim. Ele se orgulha. Ele é o meu pinguim.
Ele me faz rir, ele me faz bem.
Ele canta pra mim. Daquele jeito meio engraçado que eu adoro.
Ele adora os meus cachinhos. Ele é a minha fonte de inspiração.


Ele é o meu amor, ele é o meu tudo.
O tudo que faz tudo ao meu redor ficar melhor.
É ele. sem dúvida alguma, é ele.
E eu o amo.
(Caio Fernando Abreu)


e sim, é ele que me faz sentir medo:
medo de me envolver. medo de sofrer. medo de perde-lo.
medo da distância. medo do futuro.
mas ao mesmo tempo, me faz sentir uma paz e uma certeza de que no fim vai dar tudo certo.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

- ei você;

e eu só queria ter coragem pra te pedir pra não me deixar se afastar, como eu sempre faço.
como sempre farei. como eu tô tentando fazer.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

- aí já era;


PAIXÃO
Upload feito originalmente por Lídia Ramalho

Pára pra pensar, porque eu já me toquei. Eu te escolhi e você me escolheu, eu sei. Tá escancarado, vai negar pro coração? E você tá com sintomas de paixão!

Que é quando os olhos se caçam em meio à multidão, quando a gente se esbarra andando em qualquer direção. Quando indiscretamente a gente vai perdendo o chão e vai ficando bobo, vai ficando bobo...

E aí já era! É hora de se entregar. O amor não espera, só deixa o tempo passar e fica pro coração a missão de avisar. O meu tá dando sinal: tá querendo te amar!
(Jorge e Mateus)

terça-feira, 31 de agosto de 2010

- do i need rehab?


do i need rehab?
Upload feito originalmente por MisteridiAngeli

baby, when we first met I never felt something so strong. you were like my lover and my best friend, all wrapped in one with a ribbon on it.

and all of a sudden you went and left, I didn't know how to follow. it's like a shot that spun me around and now my heart's dead. I feel so empty and hollow.

and I'll never give myself to another the way I gave it to you. you don't even recognize the ways you hurt me, do you? it's gonna take a miracle to bring me back and you're the one to blame.
and now I feel like....oh!

you're the reason why I'm thinking. I don't wanna smoke on these cigarettes no more. I guess that's what I get for wishful thinking. should've never let you enter my door.

next time you wanna go on and leave. I should just let you go on and do it 'cause now I'm using like I bleed. it's like I checked into rehab and baby, you're my disease.

damn, ain't it crazy when you're loveswept. you'd do anything for the one you love 'cause anytime that you needed me I'd be there. it's like you were my favorite drug.

the only problem is that you was using me in a different way than I was using you but now that I know it's not meant to be... I gotta go, I gotta wean myself off of you.
[...]

(rehab - rihanna)

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

- loucura;


Via Crucis do Crpo - IV
Upload feito originalmente por Vagner Calzatti

E em homenagem ao sonho que tive esta noite:

Eu não sei de onde vem essa vontade louca de desmanchar os seus cabelos, beijar a sua boca. Ah eu não sei de onde vem esse desejo louco de abraçar seu corpo inteiro amando pouco a pouco.
Oh amor o tempo vai passando e a gente não se vê. O meu desejo aumentando, é saudade de você. É loucura é paixão sedução e prazer. É loucura é amor eu não vou te esquecer.
(Loucura - Maycon e Renato)

- do outro lado da tarde;


Pensamento
Upload feito originalmente por Criarte

Às vezes me espanto e me pergunto como pudemos a tal ponto mergulhar naquilo que estava acontecendo, sem a menor tentativa de resistência. Não porque aquilo fosse terrível, ou porque nos marcasse profundamente ou nos dilacerasse - e talvez tenha sido terrível, sim, é possível, talvez tenha nos marcado profundamente ou nos dilacerado - a verdade é que ainda hesito em dar um nome àquilo que ficou, depois de tudo. Porque alguma coisa ficou. [...]


De repente, eu não consegui ir adiante. E precisava: sempre se precisa ir além de qualquer palavra ou de qualquer gesto. Mas de repente não havia depois: eu estava parado à beira da janela enquanto lembranças obscuras começavam a se desenrolar. Era dessas lembranças que eu queria te dizer. Tentei organizá-las, imaginando que construindo uma organização conseguisse, de certa forma, amenizar o que acontecia, e que eu não sabia se terminaria amargamente - tentei organizá-las para evitar o amargo, digamos assim. Então tentei dar uma ordem cronológica aos fatos: primeiro, quando e como nos conhecemos - logo a seguir, a maneira como esse conhecimento se desenrolou até chegar no ponto em que eu queria, e que era o fim, embora até hoje eu me pergunte se foi realmente um fim. Mas não consegui. Não era possível organizar aqueles fatos, assim como não era possível evitar por mais tempo uma onda que crescia, barrando todos os outros gestos e todos os outros pensamentos.
(Caio Fernando Abreu)

sábado, 21 de agosto de 2010

- memórias [2];


Saudade
Upload feito originalmente por Rafaela B

Outra dose de uísque e eu não consigo parar de olhar para a porta, desejando que você entre com tudo da maneira que fazia antes. E eu me pergunto se eu já passei pela sua mente, porque comigo isso acontece o tempo todo.

São uma e quinze, estou meio embriagada e eu preciso de você agora. Eu disse que não ia ligar mas perdi todo o controle e preciso de você agora. E não sei como sobreviver, eu simplesmente preciso de você agora.
(Need you now - Lady Antebellum)

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

- memórias [1];


In memory of a VERY SPECIAL FRIEND
Upload feito originalmente por HORIZON

Memórias perfeitas espalhadas pelo chão, alcançando o telefone porque eu não consigo lutar mais contra isso. E eu me pergunto se eu já passei pela sua mente, porque comigo isso acontece o tempo todo.

São uma e quinze, estou completamente só e preciso de você agora. Disse que eu não viria mas perdi todo o controle e preciso de você agora.

E não sei como sobreviver, simplesmente preciso de você agora.
(Need you now - Lady Antebellum)

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

- happy birthday my friend;


happy birthday .:¦ [Ŝħ₥Ŏ5 ДḼ3ž] ¦:.
Upload feito originalmente por F ® u i t y

You think I'd leave your side, baby? You know me better than that.
Think I'd leave you down when you're down on your knees? I wouldn't do that.
I'll tell you you're right when you want.
And if only you could see into me.

When you're cold, I'll be there hold you tight to me.
When you're on the outside, baby, and you can't get in,
I will show you, you're so much better than you know.

When you're lost and you're alone and you can't get back again,
I will find you darling and I will bring you home.
And if you want to cry I am here to dry your eyes.

And in no time, you'll be fine.
(By your side - Sade)

Side by side or miles apart, true friends are always close to your heart.
Happy birthday!!! TQB!

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

- volte pra casa;


Incomplete.
Upload feito originalmente por Juliane Colombo

olá mundo,
espero que você esteja escutando.
me desculpe se eu sou novo pra falar sem esperar chegar minha vez.
existe alguém que eu sinto muita falta. e acredito que lá podem estar as melhores partes de mim. sei que estão em seu próprio lugar tentando fazer a coisa certa, mas eu estou cansando de me justificar com isso.
então eu digo pra você voltar pra casa porque eu estive esperando por você durante tanto tempo. e agora há uma guerra entre os orgulhos, mas tudo que eu vejo é você e eu. e eu sempre lutarei por você, então volte pra casa. (Come Home - OreRepublic)

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

- te escrevo - ainda;


um sorriso não tem preço!
Upload feito originalmente por Adriana Casellato

basta apenas um sorriso pra que eu volte pra você. esse amor não ta perdido, não há nada proibido, não tem nada pra esconder. basta apenas um sorriso, um sorriso é o perdão. um sorriso muda tudo, um sorriso muda o mundo e faz feliz um coração. eu já quebrei a cara procurando por aí. abraço igual ao seu nunca se aproximou de mim. amores que vieram me causaram tanto mal. você é diferente, você é especial. as bocas que beijei eram geladas sem sabor, os corpos que abracei brincaram de fazer amor. nas camas que deitei eu só amarrotei lençol. meu mundo sem o seu é feito a terra sem o sol.
(apenas um sorriso - bruno e marrone)

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

- te escrevo;


Ao amor...
Upload feito originalmente por LMarangoni


Mesmo que você não esteja aqui, o amor está aqui agora. Mesmo que você tenha
que partir, o amor não ha de ir embora.
Eu sei que é pra sempre enquanto durar e eu peço somente o que eu puder dar.
(Titãs)

infelizmente, neste momento nada tenho pra te dar. quer dizer, pra ninguém. cansei de ser "violentada". estou procurando me dar o melhor de mim.
exatamente neste momento ainda me deixo violentar.
até quando vou ficar colocando a falsa felicidade alheia na frente no meu sofrimento? será que vale a pena?
e você que me ensinou a ser segura, a não exigir muito, a não criar expectativas irreais; você que não quis ser o melhor, mas sim o diferente, me diz: estou errando?

terça-feira, 10 de agosto de 2010

- madrugada;

Madrugada, eu de férias, com visita em casa. E ainda assim tudo me remete a você.

Published with Blogger-droid v1.4.7

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

- até quando?

Me pergunto até quando iniciarei e terminarei historias esperando que algum enredo seja perfeito?

Published with Blogger-droid v1.4.7

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

- sobrevivência;


Arma tu propio Mundo 2
Upload feito originalmente por balbastro julio

bem, acredito que cada um lute com sua própria arma pra sobreviver. seja ela a simpatia, a falsidade, a ironia, a inteligência ou quem sabe até mesmo, com o corpo. depende do que cada um tem de mais desenvolvido.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

- se...;


E muito.
Upload feito originalmente por Juliane Colombo

Por que você não me impediu de te deixar?
Por que você não insistiu pra eu ficar?
Por que você tinha que ser tão cabeça dura e orgulhoso como eu?
Talvez se você tivesse me pedido...
Se talvez tivesse me mostrado que sentiria minha falta...
Se por acaso tivesse dito o quanto eu era necessária...
Talvez se... nada.


Nunca me senti como uma parte vital sua. Talvez porque eu realmente não tenha sido.
Me deixar fazer parte da sua família, da sua "vida" não foi suficiente.
Por mais que você tentasse demonstrar, você nunca conseguiu, nunca me fez ver que eu poderia ser "o ar" pra você.

Custava abaixar um pouco a guarda? Custava guardar suas armaduras? Custava me deixar SER parte?

terça-feira, 27 de julho de 2010

- formas de violência;

Diagnóstico, análise. Conselhos não solicitado.
Explicação e controle. Julgamento, opinião e intromissão.

Essas versões de violência, às vezes sutis, às vezes claras.
E mesmo as que não são notadas, ainda sim deixam suas
marcas quando desaparecem.
(Versions of violence - Alanis Morissette)

Ás vezes me sinto "estuprada" pela insegurança e cobrança alheia.

Good God, you're coming up with reasons.
Good God, you're dragging it out.
Good God, it's the changing of the seasons.
I feel so raped... So follow me down...

And just fake it if you're out of direction!
Fake it if you don't belong here!
Fake it if you feel like a infection!
Woah, you're such a fucking hypocrite! (Fake it - Seether)

segunda-feira, 26 de julho de 2010

- nada por mim;


Meu perfeito amor.
Upload feito originalmente por Juliane Colombo

Você me tem fácil demais mas não parece capaz de cuidar do que possui. [...] Não faça assim. Não faça nada por mim. Não vá pensando que eu sou seu. Você me diz o que fazer mas não procura entender que eu faço só pra te agradar. Me diz até o que vestir, com quem andar e aonde ir, mas não me pede pra voltar. (Kid Abelha)

Penso que talvez demore, mas as pessoas aprendem que não se pode exigir que alguém a ame. Da mesma forma, que não se pode exigir que a pessoa te ame da mesma forma que você a ama.
Nem ela demonstre amor da mesma forma que você demonstra.
É tão difícil assim aceitar o amor da forma que ele te é dado?
Alguns dias me sinto soterradas por obrigações, desejos e planos alheios. Eu já sei ser bem dura e me cobrar muito. Não preciso que alguém despeje em mim suas frustrações e ilusões.
Não quero que me digam o que fazer, como fazer, o que dizer, o que pensar, quando pensar, o que escrever e como escrever.

Como diz a grande Fernanda Mello:
Não me pergunte onde vou, mas me peça pra voltar.
Sou fácil de ler, mas não tente descobrir porque o mesmo refrão insiste em tocar tanto.
Se eu gostar de você, tenha a delicadeza de também gostar de mim. E me deixe ser, assim, exatamente como eu sou. Meio gata, meio gente. Desconfiada. E independente. Q
uer me prender? Nem tente.

"Nasci pra te conhecer
E te chamar
Liberdade."
(Paul Éluard)

domingo, 25 de julho de 2010

- esforço;


Intensifique o próprio esforço. Sua vida será o que você fizer dela.
Upload feito originalmente por Adriana Casellato

sim, meu estoque de paciência era baixo.
ás vezes penso que me cansei tanto que não me vejo mais fazendo algum esforço pra isso dar certo.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

- dúvida;


!!DÚVIDA!!!
Upload feito originalmente por Leidy,InComum!

E eu me perguntava até que ponto você influenciaria minha vida.
Imaginava que talvez se você me pedisse, eu até ficaria.
Mas isso você nunca pediu.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

- ainda te dizer;

Quer saber o que penso? Depois de todo este tempo sou ainda eu. E como ontem, como agora, é de madrugada que me inspiro e encontro as palavras.
E eu te digo que esta paixão acabou, que não preciso de mil pessoas, que cada vez que me acordo não tenho claro o que quero. Já faz um tempo que penso em você.
Queria saber de verdade como você está e te dizer todas aquelas coisas que não diria nunca. São pessoas, frases, dias, meses e histórias. São pensamentos que caem como quando chove lá fora. E não me olhe assim.
Será que talvez já nos dissemos tudo? Será que até agora já falamos demais?
E talvez reencontrar-se uma outra vez para saber como estamos, se mais perto ou mais longe. Mas ainda estar aqui fazendo de conta que é tudo é igual. Me diz se você consegue ainda achar um sentido, se é só uma outra vez uma tristeza ou um modo para te sentir do lado e reviver a magia.

São os mesmos lugares, mesmos olhares escondido no silencio de um detalhe, de uma recordação.
Quero deixar-te e depois deixar-me ir. Quero que cada encontro nosso seja aquele para recomeçar.
E agora bastaria pelo menos meia hora para apagar todo esse meu medo, como cada palavra sozinha, como cada porção pequena que te levava embora esta noite.
Não me olhe assim. E talvez amanhã não terei mais estes pensamentos.
(Non guardarmi così - Zero Assoluto)

- un pò del lavoro;

Anche oggi è stato pesante. Ho veramente bisogno di una piccola vacanza. Mi sa che il mio lavoro inizia a affettare la mia sanità. Oggi hanno chiamato la psicologa per una paziente con delle ideazione di suicidio. Quando sono arrivata trovo una persona con l'insufficienza respiratoria grave, non servono più gli apparecchi per aiutare a respirare perche il suo polmore non funziona più visto che è pieno di tumori. Lei sa che morirà presto però non vuole più soffrire. E cosa si può fare? Niente. Si deve aspettare finche non riesca più respirare neanche con l'apparecchio. Potete immaginare che agonia? E poi chiamano la psicologa perchè lei dice che vuole morire. dicono Ideazione di suicidio?? Cosa poteva chiedere lei oltre la morte? Io al posto suo non avrei solo idee. Ovviamente avrei fatto qualcosa per risolvere il "problema". Se fanno i medici è l'eutanasia. Se fa il paziente è suicidio. Comunque è una forma di finire la sofferenza. Vedere lei senza respirare mi ha fatto male davvero. Quasi le ho detto: "ti serve un aiuto? magari ti porto la medicina sbagliata, veleno o forse una arma. Cosa preferisci?".
Sono arrivata a casa e ho pianto come una pazza... forse per ringraziare la mia vita e la mia salute. Solamente Dio(nella forma che credete) per portare un pò di serenità a quella gente.

- like home;


...feels like home.
Upload feito originalmente por Juliane Colombo

And your voice still sounds like home to me.
I still feel like I belong to your laugh.


How the hell did we end up like this? Why weren't we able to see the signs that we missed and try to turn the tables? [...] Someday, somehow WE are gonna make it all right, but not right now.
(Nickelback - Someday)

terça-feira, 20 de julho de 2010

- i just wanna make love to you;


Day 107 - Sex Sells
Upload feito originalmente por margolove

I don't want you to be no slave.
I don't want you to work all day.
But I want you, to be true...
And I just wanna make love to you.
(Etta James)

segunda-feira, 19 de julho de 2010

- niente oltre la musica;

mentira
Upload feito originalmente por
viiveunaa1viida

Mi hai detto "ti ho visto cambiare, tu non sai più sentire", per un momento avrei voluto che fosse vero anche soltanto un pò. Perchè ti ho sentito entrare, ma volevo sparire e invece ti ho visto mirare, invece ti ho visto sparare a quell'anima che hai detto che non ho.¹

Questa canzone l'ho sentita tutti i giorni in Italia. Ogni tanto me la ricordo e me ne accorgo che avrei voluto anch'io che certe cose fossero vere anche soltanto un pò.

¹Ti vorrei sollevare - Elisa.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

- ainda o tempo;


"Once upon a time"
Upload feito originalmente por B℮n


E com o tempo a gente aprender a querer buscar a paz: paz no trabalho, na família, no amor. Paz na vida.
Com o tempo a gente aprender a ter calma para aprender a aprender com o tempo.
Com o tempo a gente vê que de nada vale exigir que alguém seja perfeito. Amadurecemos. Passamos a aceitar as pessoas da forma que são e nos adaptamos aos seus jeitos e manias. E ela aos nossos, óbvio.
Em mim o tempo faz mudanças incríveis, embora imperceptíveis aos olhos das pessoas.
Com o tempo amor e sexo adquiriram significados diferentes. Podem (ou não) estarem ligados.
Com o tempo as palavras "casamento, marido, filhos, casa e nosso(a)" pararam de me apavorar.
Com o tempo parei de fazer as coisas esperando alguma em troca. Quer dizer, no fundo sempre se espera. Melhor dizer: Com o tempo parei de me decepcionar quando não me davam nada em troca.
Ainda estou aprendendo a ter paciência. Esta é uma tarefa eterna pra mim. Paciência pra esperar. Paciência pra ensinar. Paciência pra ouvir. Paciência pra namorar (esta é foda!).
Um dia me disseram: "Você vai se casar sim, mas sabe quando? Quando você encontrar alguém forte psicologicamente. Alguém que você não poderá controlar. Alguém que vai entender que amor, liberdade e cumplicidade caminham juntos. E mais importante: alguém que você vai ter medo de perder. Você vai sentir um medo incrível. Como se a sua vida pudesse acabar sem aquela pessoa.".
Eu conheci esta sensação uma vez, numa proporção gigantesca, assim como tudo que se vive aos 14 anos. Coisa de adolescente.
Enfim, com o tempo espero aprender a ter (mais) paciência para esperar esta sensação voltar.

"Me deixa sonhar. Me deixa esquecer. Me deixa começar a
caminhar com passos mais definidos e me faça imaginar quanta coisa ainda tenho pra fazer, talvez crescer e envelhecer, e quando ainda tenho pra amar."
(Alessandra Amoroso)

terça-feira, 13 de julho de 2010

- o tempo;


"Ah...venga il tempo in cui i cuori s'innamorino..." [Prima prova di still-life]
Upload feito originalmente por .Artemisia.Photography.

Com o tempo a gente percebe que às vezes o amor morre, a importância se desfaz e a amizade se perde. Com tempo a gente vê que certas coisas que pareciam ser tão importantes, hoje ja não fazem o mínimo sentido.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

- per cosa vale la pena di vivere?


El tren de la vida
Upload feito originalmente por sensiblegrandeza


Di solito non ci fermiamo a pensare che un giorno moriremo tutti.
Non ci fermiamo a pensare quanto siamo deboli, quanto il nostro corpo è fragile.
Quotidianamente io incontro la morte nei corridoi dell'ospedale. E ogni tanto mi questiono sul valore della vita.
Mi vedo accanto alle persone che vogliono vivere tuttavia la vita si svane per le loro cellule.
A volte anche mi trovo cercando di ritrovare la voglia di vivere in certi pazienti che l'hanno persa per le strade.
Avere un cancro non è come prendere un raffreddore, o avere un problema di cuore, occhi, ecc.
A volte non è umanamente possibile controllare il cancro, cioè a volte non ci sono più trattamenti possibili e resta solo la terapia palliativa. Anche le terapie disponibili possono non essere sufficienti. Ma di solito proporzionano grande qualità e prospettiva di vita. E da un piccolo tumore benigno ad un avanzato tumore maligno si vede l'impatto sulla vita di una persona.
Il nostro perfetto cervello ha la capacità di fronteggiare certe situazioni. Quindi la persona svilupa forme di soppravivere bene anche se ha un problema. È uno dei nostri meccanismi di difesa.
Essendo vicina alle persone con sensazione di morte imminente mi sono accorta che di solito rivalutano la loro vita. I pazienti in generale parlano delle loro perdite: perdita della salute, della autonomia, del lavoro, dei capelli(per chi fa la chemioterapia) o magari la perdita di uno dei membri del suo corpo.
Ma cosa hanno "ricevuto" con la malattia? Domanda difficile. Cosa si può acquistare con una malattia cronica? La famiglia più vicina? Più atenzione? E forse una esperienza spirituale unica.
Questa gente incontra forza nella loro fede. Si trovano un passo davanti a noi a rispetto del mondo spirituale.
E nonostante la certezza che moriremo un giorno, loro la sentono più vicino, ma non vuol dire che partirano prima di noi.
Quindi mi domando sempre: cosa vale la pena in questa vita? per me la risposta è semplice: cogli l'attimo che vivi. vivi il tuo presente ma non smettere di pensare e sognare col futuro.
è quello che cerco di fare da 23 anni... con i passi e gli inciampi.

secondo te per cosa vale la pena di vivere?


« Mentre parliamo il tempo, invidioso, sarà già fuggito. Cogli l'attimo, fiduciosa il meno possibile nel domani. » - Orazio

« Le cose per cui vale la pena di vivere non possono essere calcolate nella mente ma devono essere sentite nel cuore! »

sábado, 10 de julho de 2010

- l'amore;


Borboletas no jardim.
Upload feito originalmente por Juliane Colombo

L’amore è come una farfalla, più la rincorri, più si allontana.
Ma se la lasci volare, arriverà nel momento in cui meno te l’aspetti.

L’amore può farti diventare felice, ma può anche farti diventare triste.
L’amore diventa prezioso se lo versi a Qualcuna che lo sappia apprezzare.
E quindi, non essere precipitoso, e scegli con attenzione.

L’amore non è diventare “una perfetta coppia” per qualcuno, ma è trovare Qualcuna che possa aiutarti a diventare te stesso. E proprio perché Lei diventi perfetta.

Non dirLe mai “Ti amo” se non te ne frega niente.
Non parlarLe mai di sentimenti che in realtà non ci sono.
Non fissarLe mai gli occhi se i tuoi occhi sono colmi di bugie.

La cosa più crudele che si possa fare a Qualcuna è farLa cadere in amore senza avere mai l’intenzione di acchiapparLa.

L’amore non è dire: “è colpa tua!”, ma è dire: “perdonami!”.
L’amore non è dire: “ma perché lo fai?!?”, ma è dire: “ti capisco”.
L’amore non è dire: “se tu non fossi così…”, ma è dire: “mi piaci come sei!”.

La compatibilità di una coppia non si misura in base a quanto tempo i due sono stati e stanno insieme, ma si misura in base all’interattività fra i due quando stanno insieme.

Il modo migliore per innamorarsi è:
lasciarsi cadere in amore, ma non fino a cadere completamente, condividersi e non comportarsi inequamente, cercare di capire e non di pretendere, essere triste ma cerca di non conservare sempre la tua tristezza.

È doloroso vedere la persona che ami divertirsi con qualcun altro, ma è molto più doloroso se Lei non si diverte con te.

L’amore ti ferisce quando lasci Qualcuna, ma è più doloroso quando è Lei a lasciarti, ma il vero dolore si ha se Lei non sa quel che veramente provi.

La cosa più dolorosa ancora nell’amore è trovare qualcuna e ti innamori di lei, solo per scoprire che lei non è fatta per te, e che hai buttato via tante cose, per qualcuna che non apprezzi il tuo amore.
Se non ti apprezza oggi, non ti apprezzerà neanche l’anno prossimo, né fra dieci anni.
E quindi, fai attenzione e non lasciarla fuggire.

E infine, sappiate che:
“Io non amo Lei perché è bella, ma è così bella…perché Io La amo.”
(Aryo Cavenati)

Tratto dal blog: http://bit.ly/b6nMYX

- adesso 7 mesi dopo che ho letto quello certe cose hanno più senso. ;x

sexta-feira, 9 de julho de 2010

- liberate your mind;

(Liberate - Disturbed)

Bold motherfucker, don't you limit your mind.
LIBERATE YOUR MIND!

- sim, heavy metal me acalma. sim, eu AMO heavy metal. e sim, eu sei, não parece.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

- esperar;


...es tan dificil esperar...
Upload feito originalmente por Reyes_Arribas

O que a gente vai fazer com essa paixão? Distraido coração.
Eu fiz festa pra esse amor a noite inteira e amanhece a ilusão.
Nada sobre o silêncio. Hoje eu vou ficar aqui até você passar.

O que a gente vai fazer com essa paixão?
Distraída solidão que passeia em frente a minha lua cheia sem deixar sombras no chão. Nada sobre o silêncio
Eu não vou sair daqui até você passar.

Nem um sinal, nem um recado.
Hoje é melhor deixar o amor fora do ar!
Tudo acontece, eu sei, tudo se entende. E de repente tudo volta pro lugar.
(Greice Ive)

terça-feira, 6 de julho de 2010

- meu coração;


Coração
Upload feito originalmente por Sika.

Na terra do coração passei o dia pensando - coração meu, meu coração. Pensei e pensei tanto que deixou de significar uma forma, um órgão, uma coisa. Ficou só com-cor, ação - repetido, invertido - ação, cor - sem sentido - couro, ação e não. Quis vê-lo, escapava. Batia e rebatia, escondido no peito. Então fechei os olhos, viajei. E como quem gira um caleidoscópio, vi:
Meu coração é um sapo rajado, viscoso e cansado, à espera do beijo prometido capaz de transformá-lo em príncipe.

Meu coração é um álbum de retratos tão antigos que suas faces mal se adivinham. Roídas de traça, amareladas de tempo, faces desfeitas, imóveis, cristalizadas em poses rígidas para o fotógrafo invisível. Este apertava os olhos quando sorria. Aquela tinha um jeito peculiar de inclinar a cabeça. Eu viro as folhas, o pó resta nos dedos, o vento sopra.

Meu coração é um mendigo mais faminto da rua mais miserável.

Meu coração é um ideograma desenhado a tinta lavável em papel de seda onde caiu uma gota d’água. Olhado assim, de cima, pode ser Wu Wang, a Inocência. Mas tão manchado que talvez seja Ming I, o Obscurecimento da Luz. Ou qualquer um, ou qualquer outro: indecifrável.
Meu coração não tem forma, apenas som. Um noturno de Chopin (será o número 5?) em que Jim Morrison colocou uma letra falando em morte, desejo e desamparo, gravado por uma banda punk. Couro negro, prego e piano.

Meu coração é um bordel gótico em cujos quartos prostituem-se ninfetas decaídas, cafetões sensuais, deusas lésbicas, anões tarados, michês baratos, centauros gays e virgens loucas de todos os sexos.

Meu coração é um traço seco. Vertical, pós-moderno, coloridíssimo de neon, gravado em fundo preto. Puro artifício, definitivo.

Meu coração é um entardecer de verão, numa cidadezinha à beira-mar. A brisa sopra, saiu a primeira estrela. Há moças na janela, rapazes pela praça, tules violetas sobre os montes onde o sol se p6os. A lua cheia brotou do mar. Os apaixonados suspiram. E se apaixonam ainda mais.

Meu coração é um anjo de pedra de asa quebrada.

Meu coração é um bar de uma única mesa, debruçado sobre a qual um único bêbado bebe um único copo de bourbon, contemplado por um único garçom. Ao fundo, Tom Waits geme um único verso arranhado. Rouco, louco.

Meu coração é um sorvete colorido de todas as cores, é saboroso de todos os sabores. Quem dele provar, será feliz para sempre.

Meu coração é uma sala inglesa com paredes cobertas por papel de florzinhas miúdas. Lareira acesa, poltronas fundas, macias, quadros com gramados verdes e casas pacíficas cobertas de hera. Sobre a renda branca da toalha de mesa, o chá repousa em porcelana da China. No livro aberto ao lado, alguém sublinhou um verso de Sylvia Plath: "Im too pure for you or anyone". Não há ninguém nessa sala de janelas fechadas.

Meu coração é um filme noir projetado num cinema de quinta categoria. A platéia joga pipoca na tela e vaia a história cheia de clichês.

Meu coração é um deserto nuclear varrido por ventos radiativos.

Meu coração é um cálice de cristal puríssimo transbordante de licor de strega. Flambado, dourado. Pode-se ter visões, anunciações, pressentimentos, ver rostos e paisagens dançando nessa chama azul de ouro.

Meu coração é o laboratório de um cientista louco varrido, criando sem parar Frankensteins monstruosos que sempre acabam destruindo tudo.

Meu coração é uma planta carnívora morta de fome.

Meu coração é uma velha carpideira portuguesa, coberta de preto, cantando um fado lento e cheia de gemidos - ai de mim! ai, ai de mim!

Meu coração é um poço de mel, no centro de um jardim encantado, alimentando beija-flores que, depois de prová-lo, transformam-se magicamente em cavalos brancos alados que voam para longe, em direção à estrela Veja. Levam junto quem me ama, me levam junto também.

Faquir involuntário, cascata de champanha, púrpura rosa do Cairo, sapato de sola furada, verso de Mário Quintana, vitrina vazia, navalha afiada, figo maduro, papel crepom, cão uivando pra lua, ruína, simulacro, varinha de incenso. Acesa, aceso - vasto, vivo: meu coração teu.
(Pequenas Epifanias - Caio Fernando Abreu)

- paciência;


Paciencia
Upload feito originalmente por Labernalesa

mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma, até quando o corpo pede um pouco mais de alma, a vida não pára. enquanto o tempo acelera e pede pressa, eu me recuso, faço hora, vou na valsa. a vida é tão rara. enquanto todo mundo espera a cura do mal e a loucura finge que isso tudo é normal, eu finjo ter paciência. o mundo vai girando cada vez mais veloz. a gente espera do mundo e o mundo espera de nós um pouco mais de paciência. será que é tempo que lhe falta prá perceber? será que temos esse tempo prá perder? e quem quer saber? a vida é tão rara. tão rara.
(Lenine)

domingo, 4 de julho de 2010

- não importa como, quando e onde, será sempre AMIZADE;

I veri amici sono quelli che si scambiano reciprocamente fiducia, sogni e pensieri, virtù, goiei e dolori; sempre liberi di separarsi, senza separarsi mai.
(A. Bougeard)




E ver aquela pessoa que carrega um pedaço do seu coração sofrer e chorar não foi bom.
Queria voltar o tempo pra quando tinhamos 14 anos e a vida era fácil. Quando qualquer dificuldade desaparecia quando estavamos juntas. Quando o amor era impossível porque os meninos interessantes eram os mais velhos. Quando as tardes livres perfeitas eram no shopping ou cinema. Quando tinhamos feito o acordo de não-suicídio, isto é, antes de fazer qualquer merda deveriamos ligar uma pra outra para pedir ajuda.


Eramos frágeis sozinhas e fortes juntas. Eramos amigas. Irmãs. Somos ainda amigas. E seremos sempre, seja longe ou perto. E um olhar é suficiente para nós sabermos que estaremos sempre presentes e que seremos para sempre ^FlY_GirL^ e }{AnGeL_GirL}{.






E vedere la persona che porta un pezzo del tuo cuore soffrire e piangere non è stato bello.
Vorrei tornare indietro il tempo, quando avevamo 14 anni e la vita era più facile. Quando ogni difficoltà spariva quando eravamo insieme. Quando l'amore era impossibile perchè i ragazzi interessanti erano i più vecchi. Quando il pomeriggio libero perfetto era quello in centro commerciale o cinema. Quando abbiamo fatto il contratto di non-suicidio, cioè, prima di fare qualche cazzata dobbiamo chiamare l'altra per chiedere aiuto.
Eravamo fragili soli e forti insieme. Eravamo amiche. Sorelle. Siamo ancora amiche. Lo saremo sempre, sia vicino o lontano. E basta uno sguardo per farci capire che ci saremo saremo, che saremo per sempre ^FlY_GirL^ e }{AnGeL_GirL}{.










quarta-feira, 30 de junho de 2010

- 6 la mia forza;


fragile e stanca
Upload feito originalmente por NaNa [supergirl]

a volte mi sa che io senza te non ce la farei.
mi sei mancata. mi manchi sempre.

- momento de reflexão;

LOST AMERICA (at work)
Upload feito originalmente por 4PIZON

pensando nas sucessivas "perdas" e "abandonos", me vi afastando tudo e todos, sempre. dizem que talvez seja a melhor opção. talvez não. assim na iminência da morte não me deixam muitas opções sobre o que/quem pensar.
o que é que me prende aqui? por que não partir?
não, não é partir pro além, não é um suicídio.
talvez eu esteja querendo proteger e consertar os erros que eu cometi (os piores, na verdade) pra ir embora com a consciência limpa. e sem planos pra voltar (pelos próximos 3 ou 4 anos).

"nenhum arrependimento, nenhum remorso. é que acontece às vezes, antes de dormir, a sua lembrança bate na minha porta, mas eu não vou abrir". (Max Pezzali - Nessun Rimpianto)

é sim, a sua força me faz crer que vai dar tudo certo.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

sexta-feira, 25 de junho de 2010

É madrugada.


É madrugada. Ou quase dia em Vignola.
Upload feito originalmente por Juliane Colombo

Quero calor na minha pele, quero chamas, quero faíscas.
E depois sumir, sem fazer barulho, só o tempo suficiente pra entender como é grande o meu amor.
Agora apaga a luz e vem dormir, que a noite é mais rápida se estamos juntos.
(Emma Marrone)

quarta-feira, 23 de junho de 2010

- calma;


Calma total
Upload feito originalmente por Eva Samaniego

e se entoa um mantra em busca de calma, de paz interior.
se tenta não pensar muito. não se preocupar.
se tenta controlar a pressão.

Me mande mentalmente coisas boas.
Estou tendo uns dias difíceis — mas nada, nada de grave.
(Caio Fernando Abreu)

quarta-feira, 16 de junho de 2010

- sobre a solidão;


Solidão no Cassino II
Upload feito originalmente por 6U5

pensando hoje, percebi que a companhia da solidão não é mais a mesma. antigamente eu poderia conviver com ela tranquilamente.
atualmente até as horas no trânsito, sozinha, são terríveis.
será por que? o que mudou?
sinto saudade daqueles momentos na cama, conversando, rindo. como se o mundo fosse aquilo. como se a gente não estivesse a 13mil km de distância. como se não falassemos linguas diferentes.
acho que é isso que acontece quando passamos a conhecer o que é" estar em companhia". o resto se torna solidão.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

- por todas as vezes;


I Heart Christmas Lights
Upload feito originalmente por roflute

Por todas as vezes que você me diz basta e nunca basta.
O fluxo das suas palavras não correspondem aos batimentos do coração.
Por todas as vezes que você me pede desculpa e não é mais uma desculpa.
Mas você encontra sempre um modo de me fazer parecer o símbolo do mal.
Por todas as vezes que é sua culpa ou talvez não seja. Mas a dúvida basta para me fazer recuperar aquela vontade de gritar.
Mas existe um momento no qual dispara alguma coisa fora e dentro de nós e todo o resto é pequeno como um alfinete imperceptível.
[...]
Por todas as vezes que um soco um uma parede nada faz porque essa dor é doce como o mel, comparado com o mal que nos fazemos.
E esse amor poderoso que defendemos com toda a força, mas quase nunca é suficiente.

Como se em um dia frio, em pleno inverno, nús, não tivessemos tanto frio porque nós cobertos pelo mar a fazer amor de todos
os modos, em todos os lugares, em todos os lagos, em todo o mundo.
O universo que perseguimos mas agora somos inalcançaveis.
(Valerio Scanu - Per tutte le volte)