quarta-feira, 28 de julho de 2010

- se...;


E muito.
Upload feito originalmente por Juliane Colombo

Por que você não me impediu de te deixar?
Por que você não insistiu pra eu ficar?
Por que você tinha que ser tão cabeça dura e orgulhoso como eu?
Talvez se você tivesse me pedido...
Se talvez tivesse me mostrado que sentiria minha falta...
Se por acaso tivesse dito o quanto eu era necessária...
Talvez se... nada.


Nunca me senti como uma parte vital sua. Talvez porque eu realmente não tenha sido.
Me deixar fazer parte da sua família, da sua "vida" não foi suficiente.
Por mais que você tentasse demonstrar, você nunca conseguiu, nunca me fez ver que eu poderia ser "o ar" pra você.

Custava abaixar um pouco a guarda? Custava guardar suas armaduras? Custava me deixar SER parte?

terça-feira, 27 de julho de 2010

- formas de violência;

Diagnóstico, análise. Conselhos não solicitado.
Explicação e controle. Julgamento, opinião e intromissão.

Essas versões de violência, às vezes sutis, às vezes claras.
E mesmo as que não são notadas, ainda sim deixam suas
marcas quando desaparecem.
(Versions of violence - Alanis Morissette)

Ás vezes me sinto "estuprada" pela insegurança e cobrança alheia.

Good God, you're coming up with reasons.
Good God, you're dragging it out.
Good God, it's the changing of the seasons.
I feel so raped... So follow me down...

And just fake it if you're out of direction!
Fake it if you don't belong here!
Fake it if you feel like a infection!
Woah, you're such a fucking hypocrite! (Fake it - Seether)

segunda-feira, 26 de julho de 2010

- nada por mim;


Meu perfeito amor.
Upload feito originalmente por Juliane Colombo

Você me tem fácil demais mas não parece capaz de cuidar do que possui. [...] Não faça assim. Não faça nada por mim. Não vá pensando que eu sou seu. Você me diz o que fazer mas não procura entender que eu faço só pra te agradar. Me diz até o que vestir, com quem andar e aonde ir, mas não me pede pra voltar. (Kid Abelha)

Penso que talvez demore, mas as pessoas aprendem que não se pode exigir que alguém a ame. Da mesma forma, que não se pode exigir que a pessoa te ame da mesma forma que você a ama.
Nem ela demonstre amor da mesma forma que você demonstra.
É tão difícil assim aceitar o amor da forma que ele te é dado?
Alguns dias me sinto soterradas por obrigações, desejos e planos alheios. Eu já sei ser bem dura e me cobrar muito. Não preciso que alguém despeje em mim suas frustrações e ilusões.
Não quero que me digam o que fazer, como fazer, o que dizer, o que pensar, quando pensar, o que escrever e como escrever.

Como diz a grande Fernanda Mello:
Não me pergunte onde vou, mas me peça pra voltar.
Sou fácil de ler, mas não tente descobrir porque o mesmo refrão insiste em tocar tanto.
Se eu gostar de você, tenha a delicadeza de também gostar de mim. E me deixe ser, assim, exatamente como eu sou. Meio gata, meio gente. Desconfiada. E independente. Q
uer me prender? Nem tente.

"Nasci pra te conhecer
E te chamar
Liberdade."
(Paul Éluard)

domingo, 25 de julho de 2010

- esforço;


Intensifique o próprio esforço. Sua vida será o que você fizer dela.
Upload feito originalmente por Adriana Casellato

sim, meu estoque de paciência era baixo.
ás vezes penso que me cansei tanto que não me vejo mais fazendo algum esforço pra isso dar certo.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

- dúvida;


!!DÚVIDA!!!
Upload feito originalmente por Leidy,InComum!

E eu me perguntava até que ponto você influenciaria minha vida.
Imaginava que talvez se você me pedisse, eu até ficaria.
Mas isso você nunca pediu.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

- ainda te dizer;

Quer saber o que penso? Depois de todo este tempo sou ainda eu. E como ontem, como agora, é de madrugada que me inspiro e encontro as palavras.
E eu te digo que esta paixão acabou, que não preciso de mil pessoas, que cada vez que me acordo não tenho claro o que quero. Já faz um tempo que penso em você.
Queria saber de verdade como você está e te dizer todas aquelas coisas que não diria nunca. São pessoas, frases, dias, meses e histórias. São pensamentos que caem como quando chove lá fora. E não me olhe assim.
Será que talvez já nos dissemos tudo? Será que até agora já falamos demais?
E talvez reencontrar-se uma outra vez para saber como estamos, se mais perto ou mais longe. Mas ainda estar aqui fazendo de conta que é tudo é igual. Me diz se você consegue ainda achar um sentido, se é só uma outra vez uma tristeza ou um modo para te sentir do lado e reviver a magia.

São os mesmos lugares, mesmos olhares escondido no silencio de um detalhe, de uma recordação.
Quero deixar-te e depois deixar-me ir. Quero que cada encontro nosso seja aquele para recomeçar.
E agora bastaria pelo menos meia hora para apagar todo esse meu medo, como cada palavra sozinha, como cada porção pequena que te levava embora esta noite.
Não me olhe assim. E talvez amanhã não terei mais estes pensamentos.
(Non guardarmi così - Zero Assoluto)

- un pò del lavoro;

Anche oggi è stato pesante. Ho veramente bisogno di una piccola vacanza. Mi sa che il mio lavoro inizia a affettare la mia sanità. Oggi hanno chiamato la psicologa per una paziente con delle ideazione di suicidio. Quando sono arrivata trovo una persona con l'insufficienza respiratoria grave, non servono più gli apparecchi per aiutare a respirare perche il suo polmore non funziona più visto che è pieno di tumori. Lei sa che morirà presto però non vuole più soffrire. E cosa si può fare? Niente. Si deve aspettare finche non riesca più respirare neanche con l'apparecchio. Potete immaginare che agonia? E poi chiamano la psicologa perchè lei dice che vuole morire. dicono Ideazione di suicidio?? Cosa poteva chiedere lei oltre la morte? Io al posto suo non avrei solo idee. Ovviamente avrei fatto qualcosa per risolvere il "problema". Se fanno i medici è l'eutanasia. Se fa il paziente è suicidio. Comunque è una forma di finire la sofferenza. Vedere lei senza respirare mi ha fatto male davvero. Quasi le ho detto: "ti serve un aiuto? magari ti porto la medicina sbagliata, veleno o forse una arma. Cosa preferisci?".
Sono arrivata a casa e ho pianto come una pazza... forse per ringraziare la mia vita e la mia salute. Solamente Dio(nella forma che credete) per portare un pò di serenità a quella gente.

- like home;


...feels like home.
Upload feito originalmente por Juliane Colombo

And your voice still sounds like home to me.
I still feel like I belong to your laugh.


How the hell did we end up like this? Why weren't we able to see the signs that we missed and try to turn the tables? [...] Someday, somehow WE are gonna make it all right, but not right now.
(Nickelback - Someday)

terça-feira, 20 de julho de 2010

- i just wanna make love to you;


Day 107 - Sex Sells
Upload feito originalmente por margolove

I don't want you to be no slave.
I don't want you to work all day.
But I want you, to be true...
And I just wanna make love to you.
(Etta James)

segunda-feira, 19 de julho de 2010

- niente oltre la musica;

mentira
Upload feito originalmente por
viiveunaa1viida

Mi hai detto "ti ho visto cambiare, tu non sai più sentire", per un momento avrei voluto che fosse vero anche soltanto un pò. Perchè ti ho sentito entrare, ma volevo sparire e invece ti ho visto mirare, invece ti ho visto sparare a quell'anima che hai detto che non ho.¹

Questa canzone l'ho sentita tutti i giorni in Italia. Ogni tanto me la ricordo e me ne accorgo che avrei voluto anch'io che certe cose fossero vere anche soltanto un pò.

¹Ti vorrei sollevare - Elisa.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

- ainda o tempo;


"Once upon a time"
Upload feito originalmente por B℮n


E com o tempo a gente aprender a querer buscar a paz: paz no trabalho, na família, no amor. Paz na vida.
Com o tempo a gente aprender a ter calma para aprender a aprender com o tempo.
Com o tempo a gente vê que de nada vale exigir que alguém seja perfeito. Amadurecemos. Passamos a aceitar as pessoas da forma que são e nos adaptamos aos seus jeitos e manias. E ela aos nossos, óbvio.
Em mim o tempo faz mudanças incríveis, embora imperceptíveis aos olhos das pessoas.
Com o tempo amor e sexo adquiriram significados diferentes. Podem (ou não) estarem ligados.
Com o tempo as palavras "casamento, marido, filhos, casa e nosso(a)" pararam de me apavorar.
Com o tempo parei de fazer as coisas esperando alguma em troca. Quer dizer, no fundo sempre se espera. Melhor dizer: Com o tempo parei de me decepcionar quando não me davam nada em troca.
Ainda estou aprendendo a ter paciência. Esta é uma tarefa eterna pra mim. Paciência pra esperar. Paciência pra ensinar. Paciência pra ouvir. Paciência pra namorar (esta é foda!).
Um dia me disseram: "Você vai se casar sim, mas sabe quando? Quando você encontrar alguém forte psicologicamente. Alguém que você não poderá controlar. Alguém que vai entender que amor, liberdade e cumplicidade caminham juntos. E mais importante: alguém que você vai ter medo de perder. Você vai sentir um medo incrível. Como se a sua vida pudesse acabar sem aquela pessoa.".
Eu conheci esta sensação uma vez, numa proporção gigantesca, assim como tudo que se vive aos 14 anos. Coisa de adolescente.
Enfim, com o tempo espero aprender a ter (mais) paciência para esperar esta sensação voltar.

"Me deixa sonhar. Me deixa esquecer. Me deixa começar a
caminhar com passos mais definidos e me faça imaginar quanta coisa ainda tenho pra fazer, talvez crescer e envelhecer, e quando ainda tenho pra amar."
(Alessandra Amoroso)

terça-feira, 13 de julho de 2010

- o tempo;


"Ah...venga il tempo in cui i cuori s'innamorino..." [Prima prova di still-life]
Upload feito originalmente por .Artemisia.Photography.

Com o tempo a gente percebe que às vezes o amor morre, a importância se desfaz e a amizade se perde. Com tempo a gente vê que certas coisas que pareciam ser tão importantes, hoje ja não fazem o mínimo sentido.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

- per cosa vale la pena di vivere?


El tren de la vida
Upload feito originalmente por sensiblegrandeza


Di solito non ci fermiamo a pensare che un giorno moriremo tutti.
Non ci fermiamo a pensare quanto siamo deboli, quanto il nostro corpo è fragile.
Quotidianamente io incontro la morte nei corridoi dell'ospedale. E ogni tanto mi questiono sul valore della vita.
Mi vedo accanto alle persone che vogliono vivere tuttavia la vita si svane per le loro cellule.
A volte anche mi trovo cercando di ritrovare la voglia di vivere in certi pazienti che l'hanno persa per le strade.
Avere un cancro non è come prendere un raffreddore, o avere un problema di cuore, occhi, ecc.
A volte non è umanamente possibile controllare il cancro, cioè a volte non ci sono più trattamenti possibili e resta solo la terapia palliativa. Anche le terapie disponibili possono non essere sufficienti. Ma di solito proporzionano grande qualità e prospettiva di vita. E da un piccolo tumore benigno ad un avanzato tumore maligno si vede l'impatto sulla vita di una persona.
Il nostro perfetto cervello ha la capacità di fronteggiare certe situazioni. Quindi la persona svilupa forme di soppravivere bene anche se ha un problema. È uno dei nostri meccanismi di difesa.
Essendo vicina alle persone con sensazione di morte imminente mi sono accorta che di solito rivalutano la loro vita. I pazienti in generale parlano delle loro perdite: perdita della salute, della autonomia, del lavoro, dei capelli(per chi fa la chemioterapia) o magari la perdita di uno dei membri del suo corpo.
Ma cosa hanno "ricevuto" con la malattia? Domanda difficile. Cosa si può acquistare con una malattia cronica? La famiglia più vicina? Più atenzione? E forse una esperienza spirituale unica.
Questa gente incontra forza nella loro fede. Si trovano un passo davanti a noi a rispetto del mondo spirituale.
E nonostante la certezza che moriremo un giorno, loro la sentono più vicino, ma non vuol dire che partirano prima di noi.
Quindi mi domando sempre: cosa vale la pena in questa vita? per me la risposta è semplice: cogli l'attimo che vivi. vivi il tuo presente ma non smettere di pensare e sognare col futuro.
è quello che cerco di fare da 23 anni... con i passi e gli inciampi.

secondo te per cosa vale la pena di vivere?


« Mentre parliamo il tempo, invidioso, sarà già fuggito. Cogli l'attimo, fiduciosa il meno possibile nel domani. » - Orazio

« Le cose per cui vale la pena di vivere non possono essere calcolate nella mente ma devono essere sentite nel cuore! »

sábado, 10 de julho de 2010

- l'amore;


Borboletas no jardim.
Upload feito originalmente por Juliane Colombo

L’amore è come una farfalla, più la rincorri, più si allontana.
Ma se la lasci volare, arriverà nel momento in cui meno te l’aspetti.

L’amore può farti diventare felice, ma può anche farti diventare triste.
L’amore diventa prezioso se lo versi a Qualcuna che lo sappia apprezzare.
E quindi, non essere precipitoso, e scegli con attenzione.

L’amore non è diventare “una perfetta coppia” per qualcuno, ma è trovare Qualcuna che possa aiutarti a diventare te stesso. E proprio perché Lei diventi perfetta.

Non dirLe mai “Ti amo” se non te ne frega niente.
Non parlarLe mai di sentimenti che in realtà non ci sono.
Non fissarLe mai gli occhi se i tuoi occhi sono colmi di bugie.

La cosa più crudele che si possa fare a Qualcuna è farLa cadere in amore senza avere mai l’intenzione di acchiapparLa.

L’amore non è dire: “è colpa tua!”, ma è dire: “perdonami!”.
L’amore non è dire: “ma perché lo fai?!?”, ma è dire: “ti capisco”.
L’amore non è dire: “se tu non fossi così…”, ma è dire: “mi piaci come sei!”.

La compatibilità di una coppia non si misura in base a quanto tempo i due sono stati e stanno insieme, ma si misura in base all’interattività fra i due quando stanno insieme.

Il modo migliore per innamorarsi è:
lasciarsi cadere in amore, ma non fino a cadere completamente, condividersi e non comportarsi inequamente, cercare di capire e non di pretendere, essere triste ma cerca di non conservare sempre la tua tristezza.

È doloroso vedere la persona che ami divertirsi con qualcun altro, ma è molto più doloroso se Lei non si diverte con te.

L’amore ti ferisce quando lasci Qualcuna, ma è più doloroso quando è Lei a lasciarti, ma il vero dolore si ha se Lei non sa quel che veramente provi.

La cosa più dolorosa ancora nell’amore è trovare qualcuna e ti innamori di lei, solo per scoprire che lei non è fatta per te, e che hai buttato via tante cose, per qualcuna che non apprezzi il tuo amore.
Se non ti apprezza oggi, non ti apprezzerà neanche l’anno prossimo, né fra dieci anni.
E quindi, fai attenzione e non lasciarla fuggire.

E infine, sappiate che:
“Io non amo Lei perché è bella, ma è così bella…perché Io La amo.”
(Aryo Cavenati)

Tratto dal blog: http://bit.ly/b6nMYX

- adesso 7 mesi dopo che ho letto quello certe cose hanno più senso. ;x

sexta-feira, 9 de julho de 2010

- liberate your mind;

(Liberate - Disturbed)

Bold motherfucker, don't you limit your mind.
LIBERATE YOUR MIND!

- sim, heavy metal me acalma. sim, eu AMO heavy metal. e sim, eu sei, não parece.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

- esperar;


...es tan dificil esperar...
Upload feito originalmente por Reyes_Arribas

O que a gente vai fazer com essa paixão? Distraido coração.
Eu fiz festa pra esse amor a noite inteira e amanhece a ilusão.
Nada sobre o silêncio. Hoje eu vou ficar aqui até você passar.

O que a gente vai fazer com essa paixão?
Distraída solidão que passeia em frente a minha lua cheia sem deixar sombras no chão. Nada sobre o silêncio
Eu não vou sair daqui até você passar.

Nem um sinal, nem um recado.
Hoje é melhor deixar o amor fora do ar!
Tudo acontece, eu sei, tudo se entende. E de repente tudo volta pro lugar.
(Greice Ive)

terça-feira, 6 de julho de 2010

- meu coração;


Coração
Upload feito originalmente por Sika.

Na terra do coração passei o dia pensando - coração meu, meu coração. Pensei e pensei tanto que deixou de significar uma forma, um órgão, uma coisa. Ficou só com-cor, ação - repetido, invertido - ação, cor - sem sentido - couro, ação e não. Quis vê-lo, escapava. Batia e rebatia, escondido no peito. Então fechei os olhos, viajei. E como quem gira um caleidoscópio, vi:
Meu coração é um sapo rajado, viscoso e cansado, à espera do beijo prometido capaz de transformá-lo em príncipe.

Meu coração é um álbum de retratos tão antigos que suas faces mal se adivinham. Roídas de traça, amareladas de tempo, faces desfeitas, imóveis, cristalizadas em poses rígidas para o fotógrafo invisível. Este apertava os olhos quando sorria. Aquela tinha um jeito peculiar de inclinar a cabeça. Eu viro as folhas, o pó resta nos dedos, o vento sopra.

Meu coração é um mendigo mais faminto da rua mais miserável.

Meu coração é um ideograma desenhado a tinta lavável em papel de seda onde caiu uma gota d’água. Olhado assim, de cima, pode ser Wu Wang, a Inocência. Mas tão manchado que talvez seja Ming I, o Obscurecimento da Luz. Ou qualquer um, ou qualquer outro: indecifrável.
Meu coração não tem forma, apenas som. Um noturno de Chopin (será o número 5?) em que Jim Morrison colocou uma letra falando em morte, desejo e desamparo, gravado por uma banda punk. Couro negro, prego e piano.

Meu coração é um bordel gótico em cujos quartos prostituem-se ninfetas decaídas, cafetões sensuais, deusas lésbicas, anões tarados, michês baratos, centauros gays e virgens loucas de todos os sexos.

Meu coração é um traço seco. Vertical, pós-moderno, coloridíssimo de neon, gravado em fundo preto. Puro artifício, definitivo.

Meu coração é um entardecer de verão, numa cidadezinha à beira-mar. A brisa sopra, saiu a primeira estrela. Há moças na janela, rapazes pela praça, tules violetas sobre os montes onde o sol se p6os. A lua cheia brotou do mar. Os apaixonados suspiram. E se apaixonam ainda mais.

Meu coração é um anjo de pedra de asa quebrada.

Meu coração é um bar de uma única mesa, debruçado sobre a qual um único bêbado bebe um único copo de bourbon, contemplado por um único garçom. Ao fundo, Tom Waits geme um único verso arranhado. Rouco, louco.

Meu coração é um sorvete colorido de todas as cores, é saboroso de todos os sabores. Quem dele provar, será feliz para sempre.

Meu coração é uma sala inglesa com paredes cobertas por papel de florzinhas miúdas. Lareira acesa, poltronas fundas, macias, quadros com gramados verdes e casas pacíficas cobertas de hera. Sobre a renda branca da toalha de mesa, o chá repousa em porcelana da China. No livro aberto ao lado, alguém sublinhou um verso de Sylvia Plath: "Im too pure for you or anyone". Não há ninguém nessa sala de janelas fechadas.

Meu coração é um filme noir projetado num cinema de quinta categoria. A platéia joga pipoca na tela e vaia a história cheia de clichês.

Meu coração é um deserto nuclear varrido por ventos radiativos.

Meu coração é um cálice de cristal puríssimo transbordante de licor de strega. Flambado, dourado. Pode-se ter visões, anunciações, pressentimentos, ver rostos e paisagens dançando nessa chama azul de ouro.

Meu coração é o laboratório de um cientista louco varrido, criando sem parar Frankensteins monstruosos que sempre acabam destruindo tudo.

Meu coração é uma planta carnívora morta de fome.

Meu coração é uma velha carpideira portuguesa, coberta de preto, cantando um fado lento e cheia de gemidos - ai de mim! ai, ai de mim!

Meu coração é um poço de mel, no centro de um jardim encantado, alimentando beija-flores que, depois de prová-lo, transformam-se magicamente em cavalos brancos alados que voam para longe, em direção à estrela Veja. Levam junto quem me ama, me levam junto também.

Faquir involuntário, cascata de champanha, púrpura rosa do Cairo, sapato de sola furada, verso de Mário Quintana, vitrina vazia, navalha afiada, figo maduro, papel crepom, cão uivando pra lua, ruína, simulacro, varinha de incenso. Acesa, aceso - vasto, vivo: meu coração teu.
(Pequenas Epifanias - Caio Fernando Abreu)

- paciência;


Paciencia
Upload feito originalmente por Labernalesa

mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma, até quando o corpo pede um pouco mais de alma, a vida não pára. enquanto o tempo acelera e pede pressa, eu me recuso, faço hora, vou na valsa. a vida é tão rara. enquanto todo mundo espera a cura do mal e a loucura finge que isso tudo é normal, eu finjo ter paciência. o mundo vai girando cada vez mais veloz. a gente espera do mundo e o mundo espera de nós um pouco mais de paciência. será que é tempo que lhe falta prá perceber? será que temos esse tempo prá perder? e quem quer saber? a vida é tão rara. tão rara.
(Lenine)

domingo, 4 de julho de 2010

- não importa como, quando e onde, será sempre AMIZADE;

I veri amici sono quelli che si scambiano reciprocamente fiducia, sogni e pensieri, virtù, goiei e dolori; sempre liberi di separarsi, senza separarsi mai.
(A. Bougeard)




E ver aquela pessoa que carrega um pedaço do seu coração sofrer e chorar não foi bom.
Queria voltar o tempo pra quando tinhamos 14 anos e a vida era fácil. Quando qualquer dificuldade desaparecia quando estavamos juntas. Quando o amor era impossível porque os meninos interessantes eram os mais velhos. Quando as tardes livres perfeitas eram no shopping ou cinema. Quando tinhamos feito o acordo de não-suicídio, isto é, antes de fazer qualquer merda deveriamos ligar uma pra outra para pedir ajuda.


Eramos frágeis sozinhas e fortes juntas. Eramos amigas. Irmãs. Somos ainda amigas. E seremos sempre, seja longe ou perto. E um olhar é suficiente para nós sabermos que estaremos sempre presentes e que seremos para sempre ^FlY_GirL^ e }{AnGeL_GirL}{.






E vedere la persona che porta un pezzo del tuo cuore soffrire e piangere non è stato bello.
Vorrei tornare indietro il tempo, quando avevamo 14 anni e la vita era più facile. Quando ogni difficoltà spariva quando eravamo insieme. Quando l'amore era impossibile perchè i ragazzi interessanti erano i più vecchi. Quando il pomeriggio libero perfetto era quello in centro commerciale o cinema. Quando abbiamo fatto il contratto di non-suicidio, cioè, prima di fare qualche cazzata dobbiamo chiamare l'altra per chiedere aiuto.
Eravamo fragili soli e forti insieme. Eravamo amiche. Sorelle. Siamo ancora amiche. Lo saremo sempre, sia vicino o lontano. E basta uno sguardo per farci capire che ci saremo saremo, che saremo per sempre ^FlY_GirL^ e }{AnGeL_GirL}{.