domingo, 29 de março de 2009

- enfim, nós;

eu não suporto a idéia de viver a minha vida sem nunca me arriscar.
qual seria a graça? e afinal, de que é que se tem certeza ensta vida?
uma droga. isso me afetou de um jeito que me deixou totalmente desanimada: com TUDO.sabe, geralmente quando você não está satisfeito com alguma coisa, você tenta mudar, certo?
pelo menos deveria ter VONTADE de tentar.


e eu acho que eu só quero dormir para sonhar. ou fazer coisas como ir à shows, teatros, cinemas ler livros, pra eu simplesmente não ter que pensar nestas coisas. pelo menos, fazendo isso, eu perco algumas horas do meu dia vivendo uma outra vida, ou ao menos, não pensando na minha.


ontem eu aproveitei melhor umas horas do meu dia no teatro, vendo a peça Enfim, nós, com o Bruno Mazzeo e a Fernanda Souza. e o que tenho a dizer? que foi muitissimo engraçado, que eles são ótimos e que eu me diverti muito. definitivamente, homem é tudo igual! haha!
concordo com o que falaram na peça, que as pessoas só deveriam se casar depois de ficarem presas no banheiro com seus futuros companheiros, para se conhecerem melhor.

sábado, 21 de março de 2009

- why don't you shut up?

There you go, you're always so right.
It's all a big show, it's all about you!

You think you know what everyone needs.
You always take time to criticize me.

It seems like everyday I make mistakes, I just can't get it right.
It's like I'm the one you love to hate, BUT NOT TODAY!!!

So Shut up, shut up, shut up, don't wanna hear it!
Get out, get out, get out, get out of my way!!

Step up, step up, step up, you'll never stop me!!
Nothing you say today is gonna bring me down!!!

There you go, you never ask why.
It's all a big lie, whatever you do.

You think you're special, but I know and I know
and I know and we know that you're not!

You're always there to point out my mistakes and shove them in my face.
It's like I'm the one you love to hate, BUT NOT TODAY!!

- realmente... um dia veremos o que é insegurança e o que é estresse.
e ninguém nunca dá valor no que se tem, até perder....
tem gente que deveria agradecer a liberdade que tem porque caso fosse o contrário, não teria concedido um mínimo de liberdade. e sabe por quê? porque no primeiro obstáculo não teria nem concedido o direito de defesa.

- e amanhã, quero me acabar de cantar no show.

terça-feira, 17 de março de 2009

- Ei amor;

Hey LOVE.

Ei amor,
olhando todas as coisas que eu vivi, nunca pensei que acharia alguém para compartilhar os sonhos que eu tinha escondidos dentro de mim.
Dei uma chance pra vida, não tinha nada pra perder.
Se você nunca amar, nunca sentirá LIVRE. E eu espero sempre estar com você.

Ei amor,
pensando em todas as coisas que nós já fizemos, nós observamos as ondas inundarem o sol, nós compartilhamos os sonhos que tínhamos e os tornamos realidade.
Nós encontramos um modo de superar o teste do tempo. Todas as nossas dúvidas deixamos para traz.
Se você nunca amar, nunca se sentirá LIVRE. E eu espero sempre estar com você.

E estou gritando:
Ei amor, você não vai deixar sua marca neste coração partido?
E eu não consigo respirar quando você não esta aqui.
Ei amor, você não vai me elevar nestas asas que voam alto e acima das estrelas?

E se a escuridão deveria cair sobre nossos corações:
Lembre-se dos nossos sonhos no começo.

Ei amor,
eu não consigo respirar quando você não esta aqui...
(12 Stones)

- uma palavra bem específica para explicar meu humor de hoje: ANESTESIADA.

E lembre-se: um dia você vai precisar de alguem que te ESCUTE, que dê atenção ao que você quer falar. E infelizmente, você não pode 'ter' alguém somente nos dias de alegria. Neste caso baby, é TUDO ou NADA. O meio termo nao se encaixa aqui. ...É nestas horas que a gente vê quem realmente é COMPANHEIRO. Ah, considere por um instante que outras pessoas possam ter razão também. (Que ódio....!)

quarta-feira, 11 de março de 2009

- running;

Futuro...

Run, running all the time.
Running to the future with you right by my side.

Me, I'm the one you chose.
Out of all the people, you wanted me the most.

And I'm so sorry that I've fallen.
Help me up, let's keep on running.
Don't let me fall out of love.

Running, running as fast as we can.
I really hope we make it. Do you think we'll make it?
We're running, keep holding my hand so we don't get separated.

Be the one I need.
Be the one I trust most.
Don't stop inspiring me.

Sometimes it's hard to keep on running.
We work so much to keep it going.
Don't make me want to give up.
(No Doubt)


- mas por que ás vezes parece que eu estou correndo sozinha?
isso dar certo ou não, não depende exclusivamente de mim.
50% para cada, certo? let's make it... ok?

terça-feira, 10 de março de 2009

- breaking dawn;

(...)
Edward e eu caminhamos vagarosamente para o nosso quarto. Balançando nossos braços balançando entre nós.
- Uma noite para celebrar. - Ele murmurou e colocou sua mão embaixo do meu queixo para erguer meus lábios aos dele.
- Espere. - Eu hesitei e me afastei.
Ele me olhou confuso. Como uma regra geral, eu nunca me afastava. Certo, essa não era uma regra geral, era a primeira.
- Eu quero tentar uma coisa. - Eu o informei, sorrindo levemente de sua expressão confusa. Eu coloquei minhas mãos em ambos os lados de sua cabeça e fechei meus olhos em concentração. (...) Eu entendi a parte que lutava contra a separação de mim mesma, o instinto automático de me proteger acima de tudo. Ainda não chegava nem perto de fácil quanto proteger outras pessoas junto comigo. Eu senti o retrocesso ‘elástico’ de novo quando meu escudo lutou para me proteger. Eu tive que me esforçar para empurrá-lo para longe de mim; isso tirou toda minha concentração.
- Bella!! - Edward sussurrou chocado.
Então eu soube que realmente estava funcionando, então eu me concentrei ainda mais, escavando as memórias especificas que eu guardei para este momento, deixando-as invadirem minha mente, e esperando que elas invadissem a mente dele também. Algumas das memórias não estavam claras - memórias turvas de humana, vendo através de olhos fracos, e ouvindo através de ouvidos fracos: a primeira vez que eu vi seu rosto… o modo como eu me senti quando ele me abraçou na clareira… o som da voz dele em meio à escuridão da minha vacilante consciência quando ele me salvou de James… seu rosto enquanto ele esperava sob um teto de flores para se casar comigo… cada momento precioso na ilha… suas mãos frias tocando nossos bebê pela minha pele. E as memórias mais claras, perfeitamente recordadas: seu rosto quando eu acordava para minha nova vida, para o amanhecer sem fim da imortalidade… aquele primeiro beijo… aquela primeira noite…
Seus lábios, de repente, se colaram contra os meus, quebrando minha concentração.
Arfando eu soltei o peso que eu me esforçava para segurar longe de mim. Ele estalou de volta como elástico esticado, protegendo minha mente novamente.
- Ops, perdi! - Eu suspirei.
- Eu ouvi você! - Ele respirou - Como? Como você fez isso?
- Foi idéia de Zafrina. Nós praticamos desse jeito algumas vezes.
Ele estava deslumbrado. Ele piscou duas vezes e chacoalhou a cabeça.
- Agora você sabe - Eu disse suavemente e encolhi os ombros. - Ninguém nunca te amou tanto quanto eu te amo.
(...)
- Você pode fazer isso de novo? - Ele perguntou.
Eu fiz uma careta. - É muito difícil.
Ele esperou, sua expressão ansiosa.
- Eu não consigo continuar se for mesmo que um pouquinho distraída. - Eu o avisei.
- Eu serei bonzinho. - Ele prometeu.
Eu franzi meus lábios, meus olhos se estreitando. Então eu sorri.
Eu pressionei minhas mãos em seu rosto de novo, levantei o peso do escudo para fora da minha cabeça, e recomecei de onde eu tinha parado - com a memória clara como cristal da primeira noite de minha nova vida… demorando mais nos detalhes.
Eu ri sem fôlego quando seu beijo urgente interrompeu meus esforços novamente.
- Droga! - Ele rosnou, me beijando faminto descendo pela minha mandíbula.
- Eternamente, eternamente e eternamente! - Ele murmurou.
- Isso soa perfeitamente certo para mim.
E então nós continuamos felizes nesse pequeno, mas perfeito pedaço do nosso para sempre.
(Amanhecer - Stephenie Meyer)



- é... eu realmente sou a Alice no País das Maravilhas.

domingo, 8 de março de 2009

Entre anjos e insetos;

Juliane.

I just want to be heard, loud and clear are my words.
Comin' from within man, tell 'em what you heard.
It's about a revolution in your heart, and in your mind.
It's too bad the world is based on greed.
Step back and see.
Stop thinking about yourself.
Start thinking about...

Possessions they are never gonna fill the void.
Take it away and learn the best lesson: the heart, the soul, the life, the passion.
(Papa Roach)

--
E eu sinto como se eu estivesse lutando sozinha.
Lutando sozinha por um interesse comum.
Isso acontece quando o diálogo é na verdade um 'monólogo': neste caso, eu falando sozinha.
Talvez eu devesse não fazer mais questão de discutir com menos favorecidos intelectualmente.
--

— Eu queria propor-lhe uma troca de idéias...
— Deus me livre!
(Mário Quintana)