domingo, 5 de junho de 2005

- coisas que não te direi;

um novo recorde para mim.
em uma viagem de quase três horas e tudo que eu penso é VOCÊ. pra falar a verdade, tô me sentindo uma estúpida por tudo o que eu fao e sinto por você. tudo em vão. eu luto, nunca desisto, pelo menos não até agora
nessa minha viagem eu nem dormi, nem vi o tempo passar. preocupação? a única era ter você comigo.
nessas quase 2 hroas eu pensei só em você, na saudade que você deixou, na falta que você faz aqui do meu lado, no vazio enorme que ficou no meu coração que você foi embora.
você mexeu comigo em todos os sentidos. tinha tempo que não me sentia assim.
e durante a viagem, imaginei também a minha vida junto da sua, NOSSA vida.
agora que posso, queria lutar(mais) pelo seu amor, mas acho que talvem nem vale a pena.
o que você acha disso? queria saber o que você pensa disso tudo.
lembro quando te vi pela primeira vez: se eu não me engano era uma sexta-feira, tinha tocado o sinal que iria começar a terceira aula. eu tinha aula do juliano, aí você apareceu na porta. colocou moral na zona que tava na sala e quando todo mundo sentou, você falou: "obrigado" e saiu. lembra disso? eu pensei: "que cara louco".
você nem imaginam, mas eu odiava você quando você apareceu por lá, no segundo semestre. eu te odiava porque você roubou o lugar de alguém que eu gostava. gostava não, admirava (pela beleza). mas com o tempo, com suas brincadeiras engraçadas, com a sua graúna, fui aprendendo a gostar de você. (...)
nem sei se você sabe o tanto que eu gosto de você.
eu tento te mostrar, mas eo medo de você ir embora de novo? e ver que tudo não valeu a pena de novo? estou sempre sorrindo, como se tudo estivesse bem, mas lá dentro tá tudo apertado de saudade. e eu finjo, tento disfarçar a falta que me faz você, fico sufocando tudo.
mata-me esse sufocar.
eu tento disfarçar para os outros que está tudo bem, que tudo já passou, mas ás vezes penso que não vou mais aguentar viver assim(longe de você), e tenho vontade de gritar pra todo mundo que eu ainda gosto de você e que eu sou ridícula de acreditar na gente ainda.
e pensar que isso tudo começou com a troca de um simples pedaço de papel com um email.
sente falta do meu "sorriso misterioso"? vem me ver. ele te espera. (...)
um dia, eu espero, ouvir da sua boca tudo o que eu quero te dizer da minha.