segunda-feira, 5 de março de 2012

- a última noite do mundo eu passaria com você;


cai a neve e eu não entendo o que eu realmente sento então me rendo.
cada referimento foi embora.
sumiram as calçadas e as casas e colinas. parecia lindo ontem.

e eu, soterrada pelo seu branco, vejo meu reflexo e não sei bem o que estou olhando
mas encontrei o teu sorriso doce nesta neve branca que me deixa perturbada.


a neve cai e cai também o mundo mesmo que não faça tanto frio.
agora aquilo que sinto e, lembre-se e lembre-me, que toda essa coragem não é neve e não se derreterá mais, mesmo que deva (coisa que me dizem com frequencia disfarcadamente).

se eu me apaixonasse de verdade, seria por você. a ultima noite do mundo eu passaria com você.


enquanto feliz eu choro e somente eu posso entender o quando é inutil se odiar profundamente.
encontrei o teu sorriso doce nesta neve branca que me deixa perturbada.

a neve cai e cai também o mundo mesmo que não seja frio.
agora aquilo que sinto e, lembre-se e lembre-me, que toda essa coragem não é neve e não se derreterá mais, mesmo que deva.

não encontrar um modo de estar bem apesar de tudo, cair em frente à todos e depois sorrir.
amar não é um privilegio, é somente uma habilidade.
é rir de cada problema, enquanto quem odeia treme.
o teu sorriso doce é tão transparente que não existe mais nada além.
é assim tão simples, tão profundo que cura tudo e faz acabar o mundo.
e me lembre que a coragem não é como esta neve.
(tiziano ferro - l'ultima notte al mondo)

Nenhum comentário: