quinta-feira, 1 de agosto de 2013

- a minha parte da cama nesta parte da vida;


os seus grandíssimos sonhos, os meus despertares distantes; 
nossos olhos que se tornam mãos.
sua paciência de pérola, as minha teorias sobre o amor despedaçadas pelo teu perfume bom;
seu espelho embaçado, o meu dia ruim;
a minha parte da cama nesta parte da vida;
sua respiração que me acalma se tivermos o apoio do coração;
a nossa história que não conhece fim.

eu sei que já aconteceu, que outros já se amaram, não é uma novidade.
mas este nosso amor é como música que não pode acabar nunca.
nunca. nunca.

(Come musica - Jovanotti)

Nenhum comentário: