sábado, 25 de fevereiro de 2012

- bolsos cheios de pedras;

Voam as libélulas sobre as lagoas e as poças da cidade, parece que não se importam com a riqueza que vem agora e depois vai.
Me leve com você e não me dê nenhum retoque das tuas fatalidades.
Eu estou aqui. E sou toda emoção.

Tocam algumas musicas e quando tocam a terra chegar a tremer, parecem explosões inúteis, mas em alguns corações alguma coisa ficará.
Não se sabe como se criam constelações de galáxias e de energias. Jogam com dados os homens e sobra na mesa uma pontada de magia.

Estou sozinha esta noite sem você.
Você me deixou sozinha em frente as entradas do céu. E eu não sei ler, venha me buscar.
Voce irá me reconhecer, tenho os bolsos cheios de pedras.
Estou sozinha esta noite sem você.
Você me deixou sozinha em frente a escola. Me dá vontade de chorar.
Venha agora, você me reconhece, tenho os sapatos cheios de passos, o rosto cheio de tapas, o coração cheio de batidas e olhos cheios de você.

Florescem, as flores florescem e dão tudo aquilo têm em liberdade. Doam e não se preocupam de recompensas e tudo aquilo que vier.
Murmuram, as pessoas murmuram. Faça-as ficarem caladas praticando a alegria.
Jogam com dados os homens e sobra na mesa uma pontada de magia.

Estou sozinha esta noite sem você.
Você me deixou sozinha em frente as entradas do céu. E eu não sei ler, venha me buscar.
Voce ira me reconhecer, tenho um cobertor feito de retalhos.
Estou sozinha esta noite sem você.
Você me deixou sozinha em frente a escola.
Me da vontade de chorar.
Venha agora,você me reconhece, tenho os sapatos cheios de passos, o rosto cheio de tapas, o coração cheio de batidas e olhos cheios de você.
(Le tasche piene di sassi - Jovanotti)

Nenhum comentário: