segunda-feira, 25 de abril de 2011

- pelo intelecto a coisa não vai;


Só sei viver um amor se antes passar pela cegueira da paixão. Não entregaria minha vida a outro de caso pensado, sou defendida e controladora demais. [...] Ou seja, pelo intelecto a coisa não vai. Só mesmo a paixão, que é do reino da loucura, me põe entregue e besta, com as patas arriadas no chão. E eis a contradição outra vez: nada me descansa mais que um amor insensato – quanta paz e conforto há naquele punhado de instantes em que se vislumbra o paraíso!


Fernanda Mello


Por: Na tua estante: Pelo intelecto a coisa não vai.

Um comentário:

Flá Costa disse...

Meu Deus, que texto mais lindo! Cada pedacinho... mto bom!

Beijinhos*