domingo, 30 de setembro de 2007

- apagar-me;

apagar-me,
diluir-me,
desmanchar-me,
até que depois,
de mim,
de nós,
de tudo,
não reste mais
que o charme.
- paulo leminski



não seria novidade 'alguém' não entender o que eu quis dizer. tá tudo bem...
ninguém sabe o quanto eu 'adoro' quando alguém vai me dizer uma alguma coisa a qual eu posso não gostar muito, então a pessoa usa palavras 'suaves' para amenizar o impacto. ô cacete, fala direito! mas neste caso, já surtei pra que a pessoa fosse bem direta, mas realmente, não adiantou. tudo bem, eu finjo que acredito que é tão 'simples' assim.

quem nunca se odiou por ter ligado pra alguém quando na verdade, você sabia que não devia ligar porque com certeza não iriam te atender, mas mesmo assim você insite?! o/ pelo menos me rendeu um retorno. um dos poucos momentos de 'emoção' do dia.

e claro, é muito triste saber e ver que algumas pessoas estão errando e que não exista nenhum jeito de fazê-la ver isso porque todos métodos(os que estão ao meu alcance) já se esgotaram. o pior é que a pessoa só irá entender e perceber que tudo o que nós falamos é porque realmente nos importamos, quando alguma coisa muito ruim acontecer.
"i see you averting your glimpses, i see you cheering on the war, i see you ignoring your children, and i love you still."
talvez essa pessoa não tenha noção da presença de ausência que ela se tornou. =/
too bad, porque essa pessoa é meu pai.

Nenhum comentário: