quarta-feira, 24 de junho de 2015

- sobre a partida;

com a morte do Cristiano Araújo e da namorada, muitas pessoas por um segundo pararam e pensaram sobre o morrer. muito mais do que toda a questão moral do cinto de segurança ou respeito ao outro.
diariamente eu trabalho com pessoas idosas, pessoas idosas e doentes ou somente pessoas doentes.
e embora até mesmo quem esteja saudável, esteja morrendo um pouco a cada dia, de uma forma geral, quase nunca pensamos em quando vamos morrer ou quando alguém querido irá morrer. 
todos os dias escuto os mais diversos relatos sobre o morrer: alguns aguardam sem medo este momento, outros sofrem antecipadamente com o medo do desconhecido. 
toda essa vivência me faz pensar sim sobre a morte. pensar todo santo dia. pensar muito mais sobre a morte das pessoas que eu amo do que a minha. mudei muito meu modo de enfrentar as coisas depois de olhar a nossa singela e frágil existência sob outro ponto de vista. 
me surpreendi com pessoas enfrentando um luto hipotético. ouvi as mais diversas teorias sobre nossa partida. e de tudo isso concluí uma coisa: viver bem é uma luta diária que precisamos enfrentar, morrer é uma certeza divina. 

Nenhum comentário: