domingo, 24 de junho de 2012

- a cada instante;


Sabe quanto eu gostaria que fosse eu, meu amor, sem medos.
Sempre faz de mim aquilo que quer e do jeito sem ressentimentos.
Se eu caio você é meu, me levanto e você é meu.
Quero mais e você é meu.
Não peço mais nada e você é meu ainda.
Deixa ser como eu gostaria que fosse cada meu instante.
Sabe como eu gostaria que fosse eu, meu amor, a te dizer adeus.
(Ogni mio istante - Negramaro)

Nenhum comentário: